Header Ads

Integrar contribui para melhoria da educação em Paracatu

 Professora da rede pública de Paracatu há 30 anos, Ilne Ferreira Albernas conta que sua prática dentro de sala, assim como de outros colegas docentes, não era muito voltada ao trabalho coletivo.

POR AMANHECER DA NOTICIA

Normalmente, os alunos faziam suas atividades individualmente. Após as formações do eixo Educação do Programa Integrar, essa prática mudou. Ela passou a trabalhar mais em grupo, com atividades de maior interação. Os alunos, conta, adoraram a novidade.


"Essa metodologia de colocar o aluno como protagonista e o professor como mediador abriu muito a cabeça. O principal foi essa abertura para o novo, com foco na interação e no protagonismo jovem", relata. Ilne fez a formação em Língua Portuguesa, mas também recebia os cadernos da formação Metodologia para Aprendizagem Ativa e fez bom uso deles.


"Eu estudava e aplicava na minha sala de aula. Os cadernos de atividades eram bem modernos, com muitas atividades ligadas a tecnologia. Alunos produziram vídeos e várias outras coisas à base da tecnologia. Isso chamou muita atenção", diz, lembrando que o programa também disponibilizava recursos financeiros, o que viabilizou a impressão de um livro escrito pelos alunos.


Wanderlândia Silva Neiva Fernandes é professora de História da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e atua também na Superintendência Regional de Educação, como analista educacional. Ela recebeu formação em Metodologia para Aprendizagem Ativa e disse que a experiência a tornou uma profissional ainda mais dinâmica.


"Sempre fui dinâmica, mas a formação me especializou. Me ajudou a me organizar mais. Desenvolvemos projetos de pesquisa com os alunos e fizemos produtos excelentes. Um dos projetos foi o grafite no interior da quadra da escola. Os alunos escolheram. Era um lugar que eles queriam melhorar. É algo que até hoje está bem conservado. Eles se sentiram pertencentes ao processo", conta.


Segundo a professora, a cultura do protagonismo foi muito fomentada e a escola continua com muitos projetos voltados para esse princípio. Ela também conta que projetos específicos sobre primeiro emprego foram desenvolvidos a partir de demandas apontadas pelos alunos nas práticas. Em parceria com uma faculdade local, a escola ofereceu oficinas sobre construção civil, noções de engenharia, administração e outras. De acordo com a professora, os alunos foram melhor preparados para o ensino médio.


Relatos como os das duas professoras confirmam a contribuição que o Programa Integrar, plataforma de investimentos sociais da Kinross, tem proporcionado para a melhoria da educação pública em Paracatu, por meio de parcerias e projetos que envolveram toda a comunidade escolar.


O Programa, que completa dez anos neste ano, trabalhou diferentes frentes, como lembra a coordenadora da Secretaria Regional de Ensino (SRE) de Paracatu, Juliana Ribeiro. "No início dos trabalhos, o foco era o aluno e a melhoria dos índices de desenvolvimento da educação básica, trabalhando através de várias oficinas voltadas para os descritores do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e ajudando também na questão das monitorias das escolas.


Entre 2018 e 2019, o programa foi adaptado e o foco passou a ser a formação continuada dos professores, de forma que os resultados atingissem os estudantes e com isso melhorasse os indicadores. Essa era a proposta. Foi um trabalho muito importante e conseguimos melhorar os índices do Ideb das escolas envolvidas", conta. Em 2001, o Ideb das escolas municipais de Paracatu era 5.3. Em 2019, foi 5.6. Na rede estadual, saltou de 5.09 para 6.3 no mesmo período.


Entre 2011 e 2017, as ações do Integrar Educação foram feitas em parceria com a consultoria Olhar Cidadão. De 2018 até 2020, com a Agência de Iniciativas Cidadãs (AIC).


Entre 2018 e 2019, houve formação específica em matemática, português e metodologias de aprendizagem voltada para os professores. Para os gestores, treinamentos sobre gestão e formação escolar. Nos dois casos, as aulas se davam por meio de encontros presenciais e atividades remotas, num intensivo de dois anos, e houve produção de material didático específico para as formações.


Os resultados foram efetivos. A avaliação das formações oferecidas aos professores chegou a 9,8. Houve aumento de 63% no domínio de conteúdos e metodologias por partes dos professores formados e alta de 13% na qualidade da educação, segundo percepção da comunidade escolar. Outro ganho foi a sensibilização das escolas para a importância do protagonismo juvenil. As instituições ficaram mais abertas à participação discente, segundo relato dos professores.


Com a chegada da Covid-19 e o desafio do distanciamento social, a partir de um diagnóstico feito com os professores, o projeto desenvolveu material de apoio para aulas remotas e um programa de rádio semanal, durante seis meses, com objetivo de unir a comunidade escolar que estava dispersa por causa do formato remoto e manter o vínculo com a escola


A coordenadora da SRE lembra que, com pandemia, em 2020, o Integrar ofereceu um suporte importante para reinventar as formas de fazer, e evitar que a educação parasse. Foram várias propostas, entre elas a preocupação com a saúde mental de professores, alunos e demais profissionais envolvidos na educação". Um programa de rádio de 12 minutos, que teve duração de seis meses e era veiculado três vezes por semana em emissoras locais, foi fundamental para estreitar os vínculos entre alunos, escola e professores no período de distanciamento social. "O Integrar sempre foi parceiro e sempre se preocupou com as questões educacionais do município".


Campanha Integrar 10 anos


No ar desde agosto, com a assinatura "Construir o amanhã é transformar-se todos os dias", a campanha dos dez anos do Integrar segue até dezembro, sempre destacando as ações do programa que visam o desenvolvimento sustentável de Paracatu.


"O futuro de um país precisa estar baseado nas políticas públicas de educação, que criem oportunidades para crianças e jovens. É com esse olhar que temos investido no integrar desde 2011", diz Ana Cunha, diretora de Relações Governamentais e Responsabilidade Social.


Nos dez anos de atuação, o Integrar já investiu cerca de R﹩ 30 milhões nos quatros eixos do programa (Educação, Cultura, Educação Ambiental e Geração de Trabalho e Renda), beneficiando aproximadamente 60 mil pessoas.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.