Header Ads

Dia Mundial da Voz especialista ensina cuidados básicos para mantê-la sempre saudável

 Os sons que soltamos pela boca revelam muito sobre o estado do organismo.

POR AMANHECER DA NOTICIA

Comemorado no dia de 16 de Abril, o país se mobiliza todos os anos para realizar ações que atuem na conscientização sobre os cuidados e preservação da voz. "Muitas pessoas não se dão conta de que as alterações vocais podem ser sinais de doenças, como o câncer de laringe, por exemplo", alerta a otorrinolaringologista Dra. Maura Neves do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP.

A médica explica que entre os principais sintomas de alerta para problemas vocais estão, rouquidão, tosse frequente, alterações no timbre da voz, pigarro, dor ou cansaço para falar. Os sintomas podem esconder laringites (infecção viral ou bacteriana na laringe e cordas vocais). Muitas vezes associada a sintomas de gripe e resfriados - dor de cabeça, obstrução nasal, coriza e tosse.

A rouquidão nestes casos tem resolução em poucos dias. Nódulos, cistos e pólipos são alterações benignas e os pacientes com algum desses problemas apresenta rouquidão mais prolongada. Podem ocorrer também cansaço ou dor (na garganta) para falar. No caso do câncer, Dra. Maura explica que a doença pode atingir as pregas vocais ou outras partes da laringe (garganta). Nestes casos a duração da rouquidão é maior. Pode ocorrer ainda, dor para falar ou engolir além de surgimento de gânglios (ínguas) no pescoço.

Apesar de muitas vezes a voz rouca ser considerada "normal", uma rouquidão sugere um problema nas cordas vocais. Quando estamos sem voz e continuamos a falar a tendência é que ocorra uma piora da qualidade da voz. Ou seja, ficamos cada vez mais roucos. E isso também significa mais inflamação ou lesão nas pregas vocais. Em alguns casos essa inflamação provoca uma cicatriz, ou seja, uma rouquidão mais permanente. Por isso é importante ficar atento aos sinais da voz.

Abaixo Dra. Maura Neves lista 12 cuidados que garantem a saúde vocal.


• Não gritar ou falar alto;

• Evite falar em tom que não seja o seu;

• Evite cochichar;

• Falar pausadamente com boa articulação das palavras;

• Não fumar;

• Evite bebidas gasosas ou alimentos que causem dificuldades de digestão;

• Evite bebidas alcoólicas;

• Evitar falar excessivamente durante exercícios físicos, quando gripado ou com alguma crise alérgica;

• Realize pausas para repouso vocal durante o trabalho;

• Beber bastante agua (temperatura fresca ou ambiente);

• Não pigarrear excessivamente;

• Evite ambientes com poeira, mofo ou cheiros fortes.

Sobre Dra. Maura Neves

• Otorrinolaringologista

• Formação: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

• Graduado em medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP

• Residência médica em Otorrinolaringologia no Hospital das Clinicas Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP

• Fellowship em Cirurgia Endoscópica Nasal no Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP

• Título de especialista pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial - ABORL-CCF

• Doutorado pelo Departamento de Otorrinolaringologia do Hospital das Clinicas Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - USP


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.