Header Ads

Segundo pesquisa, 66,2% dos acidentes evitáveis dentro de UTIs são pela falta de comunicação

 Roundover: Aplicativo para UTIs desenvolvido para revolucionar a comunicação entre membros da equipe médica e a visita multidisciplinar

POR AMANHECER DA NOTICIA

No mês que vimos hospitais entrarem em 100% da taxa de ocupação em quase todos os estados do país, não há UTIs! E, as que estão em funcionamento estão em sua capacidade máxima. Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Paulista de Medicina, dos que perfilam na linha de frente de combate à pandemia, 76,3% atendem, em média, por dia, até 20 ou mais pacientes com suspeita e/ou confirmação de Covid-19, sendo que a maioria entre eles, 53% têm sob sua responsabilidade até 5 enfermos.


Em um artigo publicado em 2016, pela revista médica Espacius assegura que Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) devem prezar pela boa comunicação entre os médicos, enfermeiros, nutricionistas e psicólogos. A chamada equipe multidisciplinar precisa ter assertividade nas informações. Já em 2000, a Organização Mundial da Saúde, estimou que 10% dos pacientes sofrem incidentes evitáveis dentro das UTIs. Ainda segundo a instituição, estes incidentes ocorrem sem relação à doença que fez aquele paciente estar ali, como um erro de medicamento, ou um procedimento feito incorretamente. A plataforma PubMed, que reúne artigos científicos relacionados à área da Medicina, nos últimos 10 anos registrou mais de 29 mil pesquisas relacionadas ao tema. Só no ano passado foram 4 mil pesquisas, sobre como evitar estes incidentes.


Para a doutora Clarice Costa, com mais de 16 anos de atuação em terapia intensiva, a perda de informações prejudica muito o trabalho da equipe. "Diariamente, fazemos o "Round", uma reunião em que todos os profissionais discutem as medidas a serem tomadas. Porém com a nossa rotina, informações vitais podem ser perdidas", explica. Ela foi coordenadora do hospital de campanha Lagoa-Barra no Rio de Janeiro e segue trabalhando na linha de frente no combate a Covid-19.


A enfermeira chefe do Hospital das Clínicas Lígia Maria Quitério, em seu programa de mestrado, desenvolveu uma pesquisa analisando casos evitáveis dentro dos Centros de Terapia Intensiva. Segundo o estudo, 62,66% dos incidentes sem danos são relacionados à documentação e à comunicação verbal. Ela destacou em sua pesquisa que "As falhas de comunicação escrita estão associadas a medicações, dietas e aos processos e procedimentos clínicos, e representaram a maioria dos incidentes com danos: 24,82%.".


Aliado do médico, Roundover revoluciona a comunicação e a visita multidisciplinar


A pandemia trouxe a revolução tecnológica para todos os setores, mas principalmente para a medicina. O Roundover, aplicativo que na tradução significa "ronda contínua", foi desenvolvido pela Dra Clarice, e traz a UTI na palma da mão. Por um celular ter um formato compacto e acessível, o aplicativo permite que toda a equipe esteja integrada e que nenhuma informação registrada no aplicativo se perca.


"Hoje um médico e toda a equipe anda com uma mesa e o computador, ou várias folhas de papéis com as informações dos pacientes. A geração e a transmissão de informações ao longo do dia e da noite são processos complexos e dinâmicos e necessitam de uma ferramenta eficiente para torná-los eficientes. E, é pensando nisso que desenvolvi o aplicativo", afirma a doutora Clarice.


Pensado para ser totalmente adaptável, o Roundover conta com criptografia de ponta a ponta impedindo assim que os dados sejam vazados. O médico pode escolher inserir sua equipe e os leitos através de números, letras ou símbolos. Além disso, o próprio aplicativo já traz alguns cálculos e fórmulas para facilitar a atuação do médico plantonista. Assim a equipe pode ter acesso de forma rápida e segura aos dados pertinentes para a condução do paciente.


"Eu, enquanto médica intensivista, sinto a necessidade de otimizar o meu tempo no manejo dos pacientes a beira-leito e aumentar a performance da minha equipe. O Roundover permite tudo isso.", finaliza Clarice Costa.


Para saber mais sobre o aplicativo e fazer o teste grátis de 30 dias, acesse AQUI.


Após o médico encarregado realizar o download do aplicativo e cadastrar sua equipe, Roundover já está apto para uso. Tanto o médico da rotina quanto o médico plantonista já poderão alimentar as informações à beira leito. Lembre-se: basta uma assinatura mensal para todos(a) da equipe terem acesso ao APP.


SOBRE O ROUNDOVER


Primeiro aplicativo exclusivo para UTIs, criado pela médica brasileira Clarice Costa, especialista em Medicina Intensiva, e apaixonada pela medicina. Com o Roundover é possível otimizar o trabalho da sua equipe médica e transformar sua unidade em uma UTI de alta performance. Para saber mais, ACESSE AQUI. ou nos siga no instagram- @roundouver_

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.