Header Ads

Projeto reforma casa e realiza acessibilidade para jovem com deficiência

 O grupo de Ações Comunitárias, do Instituto MPD, em parceria com a Associação Beneficente Comunidade de Amor Rainha da Paz desenvolverá melhorias em residência por meio do projeto João de Barro

POR AMANHECER DA NOTICIA

Um dos principais desafios das pessoas com deficiência é estar em ambientes que sejam acessíveis e que possam proporcionar mais conforto ao precisarem se locomover. E muitos que vivem em situação de vulnerabilidade encontram dificuldades em suas residências por não terem as adaptações devidas. Pensando nisso, o   Instituto MPD, organização sem fins lucrativos criado pela construtora MPD Engenharia para executar ações de responsabilidade social e ambiental, por meio do programa Ações Comunitárias firmou uma parceria com o projeto João de Barro, da Associação Beneficente Comunidade de Amor Rainha da Paz, uma Organização da Sociedade Civil (OSC), que reabilita pessoas com deficiência, apoiando e orientando suas famílias.


O objetivo da ação é realizar melhorias nas residências das crianças que são atendidas pela Rainha da Paz, proporcionando segurança, acessibilidade e mais condições de higiene e saneamento. A ONG realiza visitas periódicas nas casas das famílias e aquelas que apresentam menos conforto e comodidade passam por avaliações, onde é verificado quais as readequações que precisam ser executadas. E após as análises, é escolhida a residência que precisa com mais urgência passar pela reforma.


Diante disso, a primeira casa escolhida por meio desta parceria é da jovem de 18 anos, Geovana da Silva Barbosa, moradora de Santana de Parnaíba, município de São Paulo. A adolescente que possui deficiência toxoplasmose congênita, paralisia cerebral e deficiência visual desde o seu nascimento encontra dificuldades de locomoção no local onde mora e, por isso, serão realizadas diversas adaptações e melhorias em sua casa para atender melhor às suas necessidades do dia a dia.


Todo o processo de reforma é feito e acompanhado por arquitetos, engenheiros, entre outros colaboradores da MPD Engenharia e voluntários do Instituto MPD. São eles que checam e desenvolvem o projeto e verificam as intervenções e readequações que precisam ser feitas no imóvel atendendo as necessidades e limitações.


No banheiro será proporcionado para a jovem e sua família melhores condições de higiene e serão realizadas as seguintes adaptações: esquadrar e revestir as paredes, rebocar o teto, troca de piso, troca da fiação, porta e basculante, pequena intervenção na parede da porta, troca de chuveiro e iluminação, pintura do teto, gabinete de pia, doação de itens de decoração, toalhas, lixeiras, porta tolha, entre outros. Além disso, Geovana compartilha o mesmo quarto com outros familiares, portando o objetivo é transformar esse ambiente em um local aconchegante com a preparação da pintura das paredes, troca de piso, contrapiso e janela, troca da parte elétrica e também pintura de teto, doação de lençol, cobertores, camas e guarda-roupas.


O outro cômodo que precisará de reforma é a cozinha. Neste local o nosso foco é segurança e higiene. Aqui será realizada as mesmas intervenções que as do quarto e também será trocado os utensílios da cozinha, como escorredor de louças, copos, talheres, panelas, mesa, armários e eletrodomésticos.


"Estou muito feliz pela minha filha ter sido beneficiada com tudo isso. Somos gratas por tudo que ela receberá e tenho certeza que todas essas mudanças irão melhorar a sua locomoção e dar mais conforto e qualidade de vida para ela", afirma Edneia Luisa da Silva, mãe da Geovana.


As obras na casa já iniciaram e estão previstas para terminar em junho deste ano. O projeto Ações Comunitárias, do Instituto MPD, pretende proporcionar uma vida melhor para outros beneficiados e projeta realizar mais uma reforma no segundo semestre de 2021.


"Queremos fazer dessas residências um lar seguro e aconchegante, para que as pessoas possam construir suas histórias com dignidade. Tanto as pessoas com deficiência quanto as que estão em situação de vulnerabilidade têm direito à segurança e conforto. O nosso objetivo é continuar proporcionando bem-estar e com o projeto João de Barro ajudar mais famílias", esclarece Cecília Meyer, presidente do Instituto MPD. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.