Header Ads

Manter equilíbrio emocional é fundamental na reta final para o Enem

 Especialista orienta candidatos a manterem boas horas de sono

AMANHECER DA NOTICIAS

A primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) ocorre no próximo domingo (17) e o resultado das avaliações pode ser a porta de entrada para milhões de jovens terem acesso a graduação. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foram confirmadas 5,8 milhões de inscrições para o Enem 2020 e para muitos destes inscritos, além do conhecimento e da concorrência, é preciso saber driblar a ansiedade.


De acordo com o coordenador do curso de Psicologia da Anhanguera Sumaré, Marcelo Chiodi, a rotina intensa de estudos e a proximidade das provas faz com que muitos candidatos se sintam ansiosos e com medo de não conseguirem alcançar uma nota satisfatória. "Os impactos psicológicos e a ansiedade atrelados à tensão podem trazer relação direta com o bem estar emocional."


Chiodi explica que o candidato deve estudar sem abdicar de boas horas de sono, de conversar com os amigos, de fazer atividade física e de ter tempo em família. Caso contrário, o corpo pode entrar em exaustão e quando isso ocorre quer dizer que o cérebro já está cansado. "Por mais que o candidato tente focar no conteúdo fica difícil estudar se estiver mentalmente cansado, consequentemente não absorve as informações necessárias para o aprendizado", diz.


Para esta reta final, o psicólogo e professor ressalta que o ideal é avaliar os conteúdos que ainda precisam de reforço e não perder a motivação. "Alguns alunos deixam de dormir para estudar, mas esquecem que é preciso sono de qualidade para obter bom aproveitamento do que foi estudado, para completar o ciclo da aprendizagem cognitiva. Nesta fase pré-Enem é mais importante considerar boas horas de sono, afinal o principal já deve ter sido estudado anteriormente", pontua.


Respeite os limites do corpo e da mente


A ansiedade é um dos efeitos causados pela pandemia da Covid- 19 e pode ter dificultado a preparação para o Enem de alguns estudantes. Com o isolamento social, apesar de necessário, muitos jovens sofreram alterações emocionais, já que precisaram estabelecer nova rotina de estudos.


O coordenador do curso de Psicologia da Anhanguera, Marcelo Chiodi, lembra que ao perceber sinais de exaustão ou cansaço o estudante precisa fazer uma pausa e não se culpar por esse momento.


"É preciso considerar que todos aprendemos novas rotinas ou formatos de estudo durante a pandemia. É importante não se cobrar tanto e ter clareza da situação. O momento é de ‘pegar leve’ e de confiar que todo o estudo e empenho realizados durante o último ano, mesmo que de maneira atípica, darão resultados", afirma


Chiodi ressalta que o funcionamento mental e biológico passou e ainda está passando por adaptações neste período. Por isso, é preciso ser generoso consigo, ter consciência e acolher medos e angústias nesse momento. "Se estiver muito difícil conseguir o próprio acolhimento é importante buscar ajuda profissional", finaliza o especialista.

 Política, ciência e vacinas: algumas ponderações acerca de Doria e Bolsonaro

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.