Header Ads

Empresas do segmento de transformação do plástico retornável assinam manifesto contra a lei que proíbe o fornecimento de copos, pratos e talheres de plástico na cidade de SP

 Na justificativa da proposta, o vereador defendeu que os copos e talheres descartáveis sejam substituídos por itens de material biodegradável, mas ignorou o fato de que somente uma pequena parte desses plásticos é apta à compostagem doméstica.


AMANHECER DA NOTICIAS

Portanto, todo esse "novo lixo" precisaria passar por uma compostagem industrial para a qual a cidade não tem locais apropriados para processar.


Ou seja, esse plástico "verde" vai poluir o ambiente tanto quanto o plástico comum . Além disso, os empresários ficarão com o prejuízo de ter que fazer a troca por esses materiais mais caros sem conseguir benefício ambiental algum. O projeto de lei 99/2019 , de autoria do vereador Xexéu Tripoli (PV) foi aprovado pela Câmara de Vereadores e começa a valer em janeiro de 2021. A multa prevista para quem descumprir a medida pode variar de R﹩ 1 mil a R﹩ 8 mil e pode levar até ao fechamento do estabelecimento, em caso de reincidência.


"Dado que a maioria dos itens descartados não chegam às usinas de compostagem, que sequer existem em número suficiente, o esforço será em vão. Milhares de brasileiros perderão empregos, pois muitos dos produtos substitutos serão importados". "A solução não é proibir o uso do plástico descartável reutilizável, mas sim garantir que ele seja descartado e reciclado de maneira adequada. Isso trará benefício ao meio ambiente, reduzindo o desperdício de recursos naturais como petróleo e energia." - Trechos do manifesto.


O segmento de transformação do plástico retornável repudia a culpabilização do produto e ressalta que os plásticos também contribuem para a sustentabilidade ambiental através do seu potencial de economia de energia, reciclabilidade e das opções de recuperação de energia. Economicamente, os plásticos constituem uma parte importante em diversos setores industriais e de consumo, e socialmente, a indústria de plásticos é um empregador importante. A lei em questão está sob análise de sua legalidade junto ao STF, ainda existem outras etapas administrativas para serem superadas quanto à sua aplicação prática e efetiva, e por agora, a comercialização e utilização dos descartáveis plásticos continua liberada.


Sobre as empresas do segmento de transformação do plástico retornável



A Câmara de Descartáveis tem como objetivo reunir as empresas do segmento de transformação do plástico descartável retornável e atuar em cooperação para resolver questões de interesse social, econômico e de sustentabilidade ambiental, relacionadas a produção, comercialização, uso e reciclagem de plásticos descartáveis.

Empresas têm até 28/12 para doar parte do IR a projetos sociais que vão formar 480 jovens de SP e BH para o mercado de trabalho em 2021


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.