Header Ads

Secretaria da Habitação faz parceria com iniciativa privada para construir 1,6 mil casas no modelo Preço Social

 Nova modalidade do Programa Nossa Casa conecta municípios e a iniciativa privada para ofertar moradias populares abaixo do valor de mercado a famílias com renda de até 3 salários mínimos

AMANHECER DA NOTICIAS

O Secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary, assinou de forma digital, nesta sexta-feira, 14 de agosto, convênios para seis cidades paulistas para a construção de 1.676 moradias pelo Programa Nossa Casa, na modalidade Preço Social. A cerimônia foi realizada por meio de videoconferência com a participação virtual dos prefeitos das cidades beneficiadas. Essa medida inovadora articula municípios e a iniciativa privada, com o objetivo de construir moradias populares a preços abaixo do valor de mercado para atender famílias, com renda de até três salários mínimos (R﹩ 3.135).


"Estamos, aqui, em mais uma ação virtual. Esta é a sexta hoje. Gostaria de estar presente, mas devido à pandemia do Covid-19 isso não foi possível. Esta é a solenidade do Programa Nossa Casa - Preço Social para mais seis municípios, um programa novo, inovador que busca alternativas neste momento de dificuldades econômicas, esse é o conceito do Nossa Casa, uma parceria entre municípios, Estado, União, iniciativa privada e Caixa Econômica Federal.


A expectativa é que mais da metade das unidades habitacionais conveniadas atenda exclusivamente a demanda pública, que poderá adquirir as unidades a preço social. Esta demanda pública será formada por famílias com renda de até três salários mínimos, que moram ou trabalham na cidade em que se localiza o empreendimento, com cotas específicas para residentes em áreas de risco e famílias que recebam auxilio aluguel municipal.


As prefeituras fazem a oferta dos terrenos e, por meio de licitação pública, será definida a empresa privada responsável por desenvolver o empreendimento. As vencedoras da disputa construirão as unidades habitacionais e destinarão parte delas a preço social, ou seja, com valor bem reduzido em relação ao preço normal (veja abaixo as faixas com respectivos valores das moradias). O restante das moradias será comercializado pela empresa a preço de mercado.


Para financiar os imóveis junto à Caixa Econômica Federal, as famílias beneficiadas receberão subsídios de até R﹩ 40 mil da Agência Casa Paulista, braço operacional da Secretaria de Estado da Habitação. Será possível ainda utilizar o FGTS e contar com subsídios federais, uma vez que o Programa NOSSA CASA trabalha de forma articulada com o Programa Minha Casa Minha Vida. Assim, o valor das prestações ficará compatível com a capacidade de pagamento das famílias.


Os interessados já podem fazer o registro de interesse para participar do programa no site http://www.nossacasa.sp.gov.br/ . Sempre que o número de candidatos for superior às unidades sociais disponíveis, a seleção será realizada por meio de sorteios públicos.


Preços sociais:


As empresas privadas que ganharem a licitação terão a obrigação de comercializar unidades habitacionais a preço social unitário fixado conforme a divisão demográfica abaixo:


Cidade de São Paulo: R﹩ 130 mil


Cidades das regiões metropolitanas: R﹩ 120 mil


Cidades acima de 250 mil habitantes: R﹩ 110 mil


Cidades abaixo de 250 mil habitantes: R﹩ 100 mil


Confira os municípios que assinaram convênios e o número de unidades habitacionais (uhs)


Cravinhos - 250 uhs


Itanhaém - 300 uhs


Limeira - 216 uhs


Rio Claro - 390 uhs


São Manuel - 400 uhs


São Sebastião - 120 uhs

 Rinoplastia tem efeito anti-idade e faz mulheres parecerem ao menos 3 anos mais novas, diz estudo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.