Header Ads

O melhor parto é o que é mais indicado para a gestante

Ginecologista esclarece dúvidas, tranquiliza grávidas e parentes e dá dicas para conseguir curtir este momento mesmo na quarentena


AMANHECER DA NOTICIAS

O COVID-19 chegou e transformou tudo no mundo. O momento da gestação e do parto, que para muitas mulheres e famílias é uma fase única e gratificante, pode tornar-se, durante a pandemia, um tempo de dúvidas e ansiedade.

Uma das questões mais recorrentes é quanto ao parto. De acordo com a Coordenadora do Pronto Socorro de Ginecologia do Vera Cruz Hospital, Dra. Vanessa de Souza Santos Machado, muitos acham que a cesárea é mais segura para evitar a contaminação pelo vírus, no entanto, não é verdade. "O tipo de parto deve levar em conta a indicação médica para cada paciente e a vontade da mulher. Esse fator não mudou com a pandemia", frisa.

Outra dúvida que pode pairar na mente das gestantes é se pode sair de casa para fazer o pré-natal ou se é melhor ficar reclusa de quarentena. Dra. Vanessa salienta que a recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é manter a rotina de acompanhamento, tomando os devidos cuidados de higiene. Em consulta deve manter-se firme quanto a lavagem de mãos ou uso de álcool em gel, evitar tocar o rosto, usar máscaras e evitar aglomerações. "As grávidas com síndrome gripal devem adiar as consultas em 14 dias para dar tempo do Novo Coronavírus se manifestar, se for o caso. Se necessário, deve seguir para o hospital para atendimento em local adequado para evitar contágio de outros pacientes", alerta.

Dra. Vanessa diz que o ideal é a gestante procurar atendimento médico precocemente se estiver com febre, cansaço tosse ou dificuldade de respirar. "Às vezes os sintomas da própria gestação, como cansaço e leve falta de ar ao esforçar-se, podem confundir a gestante e, na persistência dos sintomas e da dúvida, sempre procure o médico", recomenda a especialista.

Pense em si e no bebê

Para desviar a atenção dos temores infundados e curtir as peculiaridades da gravidez, a médica aconselha à mulher reservar momentos para cuidar de si, exercitar-se, comer adequadamente, hidratar-se e procurar ter horas de lazer. "Ligue para parentes ou amigos queridos e mantenha contato com a equipe de saúde", sugere.

Outra iniciativa que mantém a tranquilidade da grávida é montar um plano de parto e o pós parto. Entre as dicas que Dra. Vanessa dá para apaziguar a ansiedade é incluir nas anotações a quem telefonar quando entrar em trabalho de parto, quem acompanhará o nascimento (sim, por lei a gestante pode ter um acompanhante), quem ficará na maternidade, quem cuidará dos filhos em casa (se houver), quem ajudará no puerpério, entre outras providências. "Durante a pandemia, as maternidades permitem um visitante apenas e é importante restringir as visitas ao recém-nascido também", avisa.

A médica lembra de um relato recente de um caso francês que trouxe o primeiro recém-nascido que supostamente foi infectado dentro da barriga da mãe. "Mas ainda é muito precoce fazermos mais especulações, pois os estudos ainda estão sendo realizados e sabemos que a maioria dos bebês não nasce contaminado mesmo se a mãe estiver com COVID-19 no momento do parto", tranquiliza.

Segundo ela, a amamentação deve ser estimulada e mantida mesmo em pacientes com COVID - claro se a mãe estiver em condições de saúde para isso - com as devidas precauções, como uso de máscara, lavagem das mãos, estar com os cabelos presos, entre outros cuidados. "Se a mãe não se sentir confortável para amamentar, pode ser feita a ordenha do leite e oferecer no copinho ao recém-nascido", aponta.

Futura mamãe tem atendimento exclusivo

O diretor presidente do Vera Cruz Hospital e Vera Cruz Casa de Saúde, Erickson Blun, reforça que pacientes que chegam com sintomas do COVID-19 são direcionados para o Vera Cruz Casa de Saúde, que tornou-se um centro de cuidado na fase da pandemia. Gestantes e seus familiares e pessoas a procura de terapias diversas têm um acolhimento diferenciado.

Desde que a pandemia começou, o Vera Cruz Hospital, que tem duas entradas em endereços diferentes, mudou o fluxo de atendimento das gestantes. Elas passaram a entrar pelo acesso de internação, na Rua Onze de Agosto, e não pelo Pronto-Socorro, na avenida Andrade Neves, como era anteriormente. "A segurança da futura mamãe é muito importante para nós!", destaca Blun.

Álcool em gel na entrada e distribuídos nos interiores, disponibilização de máscara, procedimentos que conduzem ao distanciamento social, entre outras iniciativas contribuem para o que os demais processos do hospital ocorram com confiança.

"Investimos e seguimos investindo em conhecimentos e recursos que visam segurança e eficiência no combate à COVID-19. O nosso compromisso de qualidade abrange os colaboradores, pacientes e médicos", ressalta.

É importante lembrar que recentemente, o setor de obstetrícia do hospital foi reforçado pelo Centro de Gestação de Alto Risco e Medicina Fetal, na unidade estendida à Rua Gonçalves César, 158, no Jd. Guanabara.

O local tornou-se referência na missão de auxiliar as mães neste momento tão delicado, que é o de enfrentar uma gravidez complicada. O serviço, que proporciona acompanhamento integral da paciente desde a concepção, pré-natal e parto, tem por objetivo proporcionar um diagnóstico precoce e assertivo por meio de um atendimento cuidadoso, que une especialistas assistenciais de renome e equipamentos de última geração e que segue todos os protocolos adequados para diminuir os riscos maternos e neonatais.

"Estamos preparados para realizar todos os serviços e procedimentos em torno da gestação de risco, como o aconselhamento genético pré-concepcional para situações de risco potencial e todo cuidado especial para trazer conforto e a segurança que a gestante precisa", destaca o coordenador do Centro, Dr. Marcelo Nomura.


Dr. Marcelo Nomura, coordenador do Ambulatório de Gestação Alto Risco do Vera Cruz Hospital

Apartamento equipado na medida para acolhimento da futura mamãe no Vera Cruz Hospital

Sobre o Vera Cruz Hospital

Em 76 anos de existência, o Vera Cruz Hospital é reconhecido pela qualidade de seus serviços, capacidade tecnológica, equipe de médicos renomados e por oferecer um atendimento humano que valoriza a vida em primeiro lugar. O Vera Cruz dispõe de 167 leitos distribuídos em diferentes unidades de internação, em acomodação individual (apartamento) ou coletiva (dois leitos) e UTIs e maternidade. A Instituição conta também com setores de Quimioterapia, Hemodinâmica, Câmara Hiperbárica Monoplace, Radiologia (incluindo tomografia, ressonância magnética, densitometria óssea, ultrassonografia e Raio X), e laboratório com o selo de qualidade Fleury Medicina e Saúde.

Em outubro de 2017, a Hospital Care tornou-se parceira do Vera Cruz. Em pouco mais de dois anos, a aliança registra importante avanço na prestação de serviços gerado por investimentos em inovação e tecnologia. Em médio prazo, o grupo prevê expansão no atendimento com a criação de dois novos prédios erguidos na frente e ao lado do hospital principal, totalizando 17 mil m2 de áreas construídas a mais.

Desde maio de 2019, o Hospital Vera Cruz passou a gerir a Casa de Saúde, também em Campinas, quando o hospital tornou-se o Vera Cruz Casa de Saúde. Desde então, a continuidade da prestação de serviços na centenária instituição foi viabilizada e ações de melhorias têm sido feitas no hospital, desde recuperação do patrimônio histórico até adaptações dos quartos e consultórios e atualização dos equipamentos.

Há 30 anos o Vera Cruz inaugurou e mantém a Fundação Roberto Rocha Brito, referência em treinamentos e cursos de saúde na Região Metropolitana de Campinas, tanto para profissionais do setor, quanto para leigos, e é uma unidade credenciada da American Heart Association.

Saiba mais: www.hospitalveracruz.com.br
linkedin.com/company/hospital-vera-cruz
@veracruzcampinas
facebook.com/veracruzcampinas
Endereço: Rua Onze de Agosto, 443, Centro - Campinas

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.