Header Ads

Precisa viajar? Médica lista cuidados para garantir um embarque mais seguro

Para garantir uma jornada sem surpresa, especialista aponta orientações e protocolos sanitários que devem ser seguidos por passageiros e companhias


AMANHECER DA NOTICIAS

Após três meses amargando queda expressiva, o setor de turismo no país começa a se reestruturar para recuperar fôlego econômico nos próximos meses.

A retomada gradual iniciada vem após o setor sofrer queda de mais de 55,4% no faturamento de abril em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados que apontam para a maior retração desde 2011 estão no levantamento feito pelo Conselho de Turismo da Fecomércio de São Paulo e projetado em números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostra ainda que o setor teve o menor faturamento já registrado, com um prejuízo de R﹩ 6,76 bi em relação ao mesmo período em 2019.

A crise que atinge o setor provocou uma série de adaptações que começam a ser implementadas a partir de agora. Para tirar aeronaves do solo e dar a partida nos transportes terrestres, as companhias anunciaram medidas de prevenção seguir todos os protocolos de limpeza, ou saber se hotel que o passageiro vai se hospedar segue todos os protocolos sanitários, por exemplo. São iniciativas importantes para este novo normal, que tem provocado clientes a buscarem retomarem embarques. Passageiros como o engenheiro Filipe Fagundes, que mora em São Paulo, precisou adiar os planos de visitar a família em Natal, Rio Grande do Norte. "As passagens estavam compradas. Embarcaria em abril, bem no olho do furacão, mas a viagem foi cancelada pela própria companhia aérea, que me deu liberdade de optar por uma nova data em até um ano. Aos poucos, estou retomando os planos de viagem, espero que seja ainda este ano. Ainda analiso tudo cuidadosamente porque não quero correr o risco de ter de remarcar a passagem de novo", explica Filipe.

Para que já está de olho em datas e passagens para os próximos meses, a médica Maria do Carmo Favarin, Gestora do Grupo Sabin, orienta que é fundamental ficar atento às recomendações das autoridades de saúde e manter as medidas de prevenção e proteção na rotina fora de cidade natal. "A COVID-19 é uma pandemia contínua com transmissão comunitária sustentada e exige atenção e cuidados redobrados até para quem escolheu destino com menos casos da doença", afirma a especialista.

Sobre o assunto, a especialista destaca medidas de precauções que devem ser adotadas em cada etapa de uma viagem de avião, ônibus, carro ou trem.

1.Antes do embarque, analise os critérios de segurança da viagem. Aeroportos, estações de ônibus e trem e paradas para descanso são ambientes em que os viajantes podem ser expostos ao vírus no ar e nas superfícies;

2. Na hora de escolher o destino, verifique fatores como: a doença está crescendo naquela localidade e quais os riscos de infecção enquanto viaja;

3. Você também pode espalhar o coronavírus - mesmo que esteja sem sintomas - para outras pessoas quando voltar. Por isso, orientamos quarentena por 14 dias ao chegar ao local, se possível, e após o retorno;

4. Se possível, escolha meios de transportes menos densos, e que permitam muita ventilação durante a viagem;

5. Se a viagem for de carro, evite fazer muitas paradas no percurso. Se for necessário, opte por ambientes de fácil acesso à saída. Se for parada para comer, pode escolher em restaurantes drive-thrus ou na calçada.

6. Na mala de viagem, não podem faltar máscaras, desinfetantes e álcool em gel, luvas descartáveis e kits de limpeza e opte por viajar com malas que facilitem a limpeza, porque na chegada você vai precisar lavá-las;

7. Tente descansar, alimentar-se bem e manter-se hidratado também, que são essenciais durante o caminho;

8. Nos espaços como aeroportos e terminais, tente manter distanciamento social, de, no mínimo um metro e meio;

9. Se estiver hospedado em um hotel, verifique atentamente as práticas de prevenção adotadas pelo hotel antes de escolher e quando estiver lá, limite o contato próximo com outras pessoas no saguão ou em outras áreas comuns. Tente subir as escadas em vez do elevador e escolha opções sem contato para o check-in;

A médica aponta ainda outras precauções fundamentais. "Antes de sair de casa verifique se está levando a famosa maleta de remédios e garanta estoque suficiente para durar toda a viagem", ponta. Se ao voltar para a casa apresentar febre, tosse ou outros sintomas que tenham relação com o novo Coronavírus, a orientação da especialista é buscar atendimento médico. "A maioria das pessoas tem sintomas leves da doença e é capaz de se recuperar em casa. Faça o teste cinco a sete dias após a sua última exposição e fique em casa por mais um tempo. Se achar que foi exposto ao COVID-19 e que indício de gravidade do caso, procure um médico", finaliza.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.