Header Ads

Ozônio é importante aliado na desinfecção de ambientes com flexibilização do isolamento social

Com as recentes medidas para retomada das atividades econômicas e a ampliação da oferta da prestação comercial e de serviços em muitas cidades brasileiras, ambientes seguros e higienizados são fundamentais para controle da pandemia de Coronavírus


AMANHECER DA NOTICIAS

Um dos grandes desafios durante o processo de flexibilização das regras do isolamento social no atual estágio da pandemia de Covid-19 está em assegurar ambientes o mais desinfectados possíveis com o aumento de circulação da população.

Além da própria contribuição das pessoas nos cuidados com a higiene pessoal, o setor de comércio de serviços também está tendo que prover espaços com o máximo de segurança possível aos usuários e consumidores no quesito limpeza. Os cuidados básicos são amplamente conhecidos. Mas existem aliados eficientes e não tão conhecidos pelo público, empresários, comerciantes e prestadores de serviços.

Nesse cenário, o gás ozônio, conhecido há décadas como um poderoso desinfectante para vírus, bactérias e fungos, aparece como excelente opção. "Vírus encapsulados como o H1N1 e os da família Coronavírus não resistem à ação do ozônio, que destrói a camada lipídica protetora desses tipos de organismos", explica o engenheiro Carlos Heise, diretor da Panozon Ambiental, que produz soluções e equipamentos com o uso do ozônio.

A empresa paulista, sediada em Piracicaba, que trabalha com ozônio há quase 20 anos, possui uma solução para higienização de ambientes variados, sejam eles hotéis, residências, hospitais, clínicas, restaurantes, lojas, veículos e lugares de grande circulação entre outros espaços. "Nós temos um aparelho que reduz o risco de contágio de doenças transmitidas pelo ar e superfícies contaminadas, oferecendo um ambiente saudável e seguro a todos", destaca Heise.

Ele diz que seu uso é relativamente simples: "Primeiro, antes do início do uso do ambiente, os responsáveis pela limpeza devem retirar todas as pessoas e animais do local. Por ser um forte oxidante, durante a aplicação do ozônio, não deve haver pessoas ou animais no local. Para a aplicação ser mais eficaz, deve-se deixar as janelas e portas fechadas de forma que o ozônio fique confinado. Esse aparelho pequeno vem com um timer digital para 30 minutos (período ideal, por exemplo, para oxi-sanitização de carros), 60 minutos (tempo suficiente para ambientes), 2 e 4 horas. Ao final deste tempo, o equipamento desliga automaticamente. O ozônio fica no ar durante muitas horas, portanto quanto mais tempo o local ficar fechado e mesmo após desligado o gerador, maior será a eficiência no processo de desinfecção".

Heise lembra a necessidade de que se ventile o local após a ozonização até o cheiro deste gás se dissipar. "A partir daí o local estará desinfetado e pronto para uso, recebendo pessoas. Um dos modelos é produzido e dimensionado para ambientes de 36 metros cúbicos. Já uma outra versão do mesmo equipamento é dimensionada para ambientes de 72 metros cúbicos. Também possuímos soluções com aparelhos de maior porte para grandes ambientes".

E ele enfatiza: "Temos dezenas de aplicações e aparelhos para tratamento de água e ar com ozônio. Este gás tem a capacidade de fazer a diferença no quesito desinfecação, limpeza e segurança, especialmente neste período em que isso é fundamental para toda a população frente ao controle da pandemia de Coronavírus", aponta o engenheiro.

O empresário Fernando Negreira, da rede de hotéis Buenas, de São Paulo/SP, comenta sobre a adoção da solução com ozônio para ambientes da Panozon: "Já usávamos a solução há alguns anos pela eficiência para retirar odores. Agora, com essa reabertura da hotelaria na volta e retomada de atividades, nós temos tomado todas as providências necessárias na questão de segurança e sanitização dos ambientes do hotel. 

Pesquisamos no mercado e vimos que o ozônio tem um potencial muito grande para limpeza de ambientes em relação aos vírus. Então temos utilizado, após a saída dos hóspedes, o aparelho conectado por uma hora e como ele vai pelo ar acaba sendo bem eficiente em pulverizar todo o ambiente. O resultado tem sido interessante, temos visto que a sua utilização deixa os hóspedes mais tranquilos, a nossa equipe mais tranquila, obviamente usando todos os EPIs além de toda a recomendação habitual de distanciamento, lavar as mãos e uso de álcool adequado".

ACADEMIAS E PISCINAS - Muitas cidades pelo Brasil já liberaram inclusive o retorno das atividades em academias com limitações do percentual de usuários em função da área de atividades. A empresa de Piracicaba é pioneira do país na utilização do ozônio para piscinas.

"Temos soluções para piscinas residenciais e de uso público (clubes, academias e condomínios). O ozônio traz inúmeras vantagens, pois além da desinfecção da água da piscina, ele não agride os olhos, não resseca o cabelo e a pele, não tem o cheiro característico do cloro e é mais sustentável uma vez que ele utiliza o oxigênio e o subproduto final é apenas o próprio oxigênio", ressalta Heise. No caso de piscinas residenciais, o ozônio pode inclusive substituir o cloro (a desinfecção com gás é 3.000 vezes mais rápida que aquela feita com cloro).


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.