Header Ads

Crianças leem mais notícias e jogam menos online durante o isolamento

Análise global da Kaspersky aponta que a transição das aulas online e o isolamento social influenciaram a mudança de comportamento dos jovens


AMANHECER DA NOTICIAS

11 de junho de 2020 - Desde o início da pandemia do coronavírus, as crianças no mundo inteiro passaram a acompanhar mais notícias, usar com maior frequência as redes sociais e a jogar menos pelo computador. É o que revela o levantamento global Kids On Web (ou Crianças na Internet), realizado pela Kaspersky e que apurou as principais atividades das crianças quando estão online. Os dados são do Kaspersky Safe Kids ¹ e foram processados de forma anônima .

De acordo com os resultados, em janeiro - antes do início do surto nos países do Ocidente -, as crianças dedicavam, em média, 5% do seu tempo na internet à leitura de notícias, 22% aos fóruns e redes sociais e 15% aos jogos eletrônicos. Em março, quando muitos países já estavam em isolamento social, o tempo gasto pelos menores no acesso a notícias subiu para 7%, enquanto o período dedicado aos games caiu para 13% (índice que se manteve estável até o fim de maio). As redes sociais e os fóruns tiveram seu pico em abril, quando as crianças no mundo passaram 27% do seu tempo na internet nessas plataformas.

A análise da Kaspersky relaciona a mudança de comportamento dos jovens ao fato de o computador ter se tornado a sua principal ferramenta de estudo durante a pandemia. Com o fechamento das escolas, as aulas passaram a ser concedidas online e, consequentemente, as crianças estão usando mais a internet de casa para fazer as lições.

"O menor interesse em jogos em computadores pode ser explicado pelo aumento da necessidade de usá-los para outras atividades. Por exemplo, é mais fácil participar do processo educativo em computadores do que em dispositivos móveis. Nós observamos que, embora as crianças estejam passando grande parte de seu tempo em casa, elas usam os computadores sensatamente e não sentem necessidade de mergulhar nos games", comenta Anna Larkina, especialista em análise de conteúdo web da Kaspersky .

A queda no interesse das crianças em jogos refere-se somente ao Windows, pois elas ainda estão mais propensas a jogar em computadores com esse sistema operacional do que em Macs. Provavelmente, isso ocorre porque a maioria dos jogos de computador são lançados para o Windows: por exemplo, nas mais conhecidas lojas de jogos on-line, como o Steam, há um volume bem menor de jogos disponíveis para macOS .

Brasileiros acessam mais notícias e jogam mais

O levantamento revelou também que, na média dos últimos 12 meses, as crianças brasileiras passaram cerca de 17,5% de seu tempo na internet em sites de jogos, e 7% acessando notícias. O índice supera a média global - que é de cerca de 16% e 5%, respectivamente - e coloca o País na quinta posição global em ambos os quesitos.

As crianças brasileiras também se dedicaram mais às conversas em fóruns e redes sociais do que a média mundial. Enquanto os jovens do País passaram cerca de 26% do seu tempo online nessas plataformas, no mundo, a média foi de 24%.

Para oferecer uma experiência positivas às crianças com os jogos online, os especialistas da Kaspersky dão as seguintes dicas:

• Incentive as crianças a avisar sempre que houver algo que as faça sentir desconfortáveis ou incomodadas enquanto estiverem jogando. Observe que nem todas as emoções negativas têm, necessariamente, conotações negativas, e a experiência pode levar até mesmo a um bom aprendizado. Por exemplo, se uma criança não conseguir fazer algo e continuar tentando acertar, pode melhorar sua paciência .

• Se perceber que a criança está passando muito menos tempo jogando no computador durante o período de isolamento, tente descobrir o motivo. Converse com ela e procure entender sua percepção sobre o momento atual, assim como as dificuldades que pode estar enfrentando. Talvez seja hora de verificar se ela não está sobrecarregada com o trabalho da escola.

• Arrumar um tempo para jogar no computador com as crianças ajudará a fortalecer sua relação e a entender melhor o que elas fazem em seu tempo livre .

• Contar com o Kaspersky Safe Kids ajuda a equilibrar o tempo online das crianças ao determinar limites e horários, além de ter avisos sobre potenciais atividades on-line perigosas ou inapropriadas, mas sem desrespeitar a privacidade dela. A solução também oferece recomendações práticas para ajudar as crianças a se comportar de maneira segura on-line .

Para saber mais sobre as o levantamento da Kaspersky, acesse o relatório completo em Securelist.com (em inglês).

¹ A fonte dos dados é o Kaspersky Security Network (KSN) presentes nos dispositivos dos usuários do Kaspersky Safe Kids nas plataformas Windows e macOS. A KSN consiste em uma complexa infraestrutura em nuvem desenvolvida pela Kaspersky e dedicada ao processamento inteligente de fluxos de dados para oferecer proteção aos clientes por meio do envio de detecções em tempo real a milhões de participantes voluntários de todo o mundo.

Sobre a Kaspersky

A Kaspersky é uma empresa internacional de cibersegurança fundada em 1997. Seu conhecimento detalhado de Threat Intelligence e especialização em segurança se transformam continuamente em soluções e serviços de segurança inovadores para proteger empresas, infraestruturas industriais, governos e consumidores finais do mundo inteiro. O abrangente portfólio de segurança da empresa inclui excelentes soluções de proteção de endpoints e muitas soluções e serviços de segurança especializada para combater ameaças digitais sofisticadas e em evolução. Mais de 400 milhões de usuários são protegidos pelas tecnologias da Kaspersky e ela ajuda 250.000 clientes corporativos a proteger o que é mais importante para eles. Saiba mais em http://www.kaspersky.com.br .

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.