Header Ads

Casa de Saúde enfrenta a quarta epidemia em sua história centenária

Febre amarela em 1889 e 1896 e gripe espanhola em 1918 antecederam a atual pandemia de Covid-19 Vocação para a saúde é tão antiga quanto a idade da construção, inicialmente preparada para ser centro de acolhimento e escola para imigrantes italianos


AMANHECER DA NOTICIAS

O Centro Dedicado de Atenção ao Novo Coronavírus instalado no Vera Cruz Casa de Saúde desde o início da pandemia, em março, voltou a atenção da Região Metropolitana de Campinas para o imponente prédio localizado no Centro da cidade. Centenas de profissionais de jaleco, aventais, luvas e máscaras transitam pelos corredores de ladrilhos conservados no piso, paredes espessas e pé direito alto perseguindo o melhor atendimento a ser oferecido neste que é um dos momentos mais tensos do planeta.

O edifício construído no final do século 19 - projetado por Samuele Malfatti, pai da famosa pintora Anita Malfatti, com apoio do abalizado arquiteto Ramos de Azevedo - já presenciou tamanha inquietação outras três vezes: duas epidemias seguidas de febre amarela - em 1889 e 1896 - e uma de gripe espanhola em 1918.

A vocação para a saúde é tão antiga quanto a idade da construção. Nos primórdios do prédio, quando funcionava como colégio e centro de acolhimento de imigrantes italianos, o então Circolo Italiani, num ato de solidariedade daquela comunidade, foi adaptado em uma enfermaria improvisada para acolher vítimas da febre amarela, que incidiu na cidade pela primeira vez no ano de 1889.

A epidemia da mesma doença retorna em 1896 e, de acordo com fontes históricas, a região central de Campinas mereceu grande atenção da inspetoria sanitária, que desencadeou ações de "desinfecção" (atendimento hospitalar, remoção de doentes e enterros), coordenadas pelo Dr. Emílio Ribas, hoje nome de importante rua no Cambuí.

A febre amarela foi erradicada da cidade em 1904 e a suntuosa obra de arte arquitetônica continuou a funcionar como escola. Mas, em outubro de 1918, Campinas foi atingida fortemente pela gripe espanhola, transformando novamente o edifício em um local para assistência aos enfermos.

O uso do prédio para enfrentar as três epidemias alertou dois importantes líderes de Campinas na ocasião - Sr. Irineo Checchia e Dr. Mário Gatti - à predestinação do edifício. Assim, a cidade deu início às obras definitivas para a implantação de um hospital no local para assumir os cuidados da população e em 1920 foram encerradas as atividades como escola.
A diretoria da associação italiana passou então a comprar terrenos ao redor e em 1924 foram inauguradas as duas alas superiores do hospital.

Durante o período de perseguições aos radicados no Brasil por ocasião da II Guerra Mundial e o endurecimento da legislação brasileira aos estrangeiros empreendedores, o Circolo Italiani Uniti perdeu o seu nome em 1942 pela necessidade de se nacionalizar. Como consequência, o grande empreendimento passou então a se chamar Casa de Saúde Campinas.

Essa trajetória de socorro tão disponível e presente quando mais foi preciso e atuações importantes e de vanguarda - como por exemplo, sendo o primeiro hospital do interior de São Paulo a realizar cirurgias de transplante renal - tornaram a Casa de Saúde um hospital referência na região.

Sob nova direção

Desde maio de 2019, o Vera Cruz Hospital administra o agora Vera Cruz Casa de Saúde. A entrega da operação deste patrimônio ao Vera Cruz foi a alternativa para que a instituição centenária não fechasse devido à crise financeira que tornou-se insuperável em 2018. A entidade Casa de Saúde Campinas continua existindo, administrando o seu patrimônio e os seus serviços assistenciais beneficentes. A concessão da Casa de Saúde pelo Vera Cruz Hospital é de 30 anos.

Desde que o Vera Cruz Hospital uniu-se a holding Hospital Care, há pouco mais de dois anos, a busca é pela excelência dos serviços na unidade e pelo crescimento sustentável da marca. De acordo com o presidente do Vera Cruz, Dr. Erickson Blun, a parceria com outros hospitais pelo Brasil é uma das ações principais da holding. "Assumir a Casa de Saúde concretizou o plano do grupo em avançar os trabalhos na Região Metropolitana de Campinas (RMC) e resgatou para o município uma instituição de funcionalidade preciosa e de valor arquitetônico inestimável. Por meio desta impactante iniciativa, o hospital aumenta a sua contribuição para a sociedade por meio de investimentos em tecnologia e profissionais gabaritados, além de permanecer como orgulho da cidade", frisa o Dr. Blun.

Capela interna do hospital Vera Cruz Casa de Saúde

Parte do jardim da frente do Vera Cruz Casa de Saúde


Dr. Erickson Blun, diretor presidente do Vera Cruz Hospital



Covid-19 no Vera Cruz Casa de Saúde

- Funcionamento exclusivo como Centro de Atendimento Dedicado ao Novo Coronavírus durante a pandemia;
- Fluxo de acolhimento de pacientes com suspeita da doença e de confirmados concentrado em uma única unidade;
- Criação de protocolo de atendimento, identificação e isolamento dos casos suspeitos;
- Desde a chegada, pacientes que apresentam sintomas ou quadro respiratório agravado, recebem máscara de proteção e passam por avaliação do seu quadro clínico;
- Treinos periódicos e reforço dos protocolos de proteção individual e de procedimentos gerais aos profissionais de saúde;
- Respeito aos protocolos de segurança e às regras estabelecidas pelas autoridades locais, estaduais e federais de saúde;
- Parceria com o SUS na reserva de 14 leitos de UTI;
- Acomodação suficiente para acolher os pacientes;
- Flexibilidade para realizar qualquer mudança organizacional para um quadro mais progressivo e alarmante dentro da cidade, com procedimentos alinhados, dia a dia, com autoridades e órgãos responsáveis, caso seja necessário remanejar pacientes ou tomar medidas maiores de contenção do avanço da doença;

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.