Header Ads

Pesquisa mostra que alunos do Ensino Médio se adaptaram à rotina de estudos digitais e continuam empenhados em atividades extracurriculares

Levantamento feito pelo Colégio Poliedro com jovens de 15 a 17 anos revela que 72,3% dos alunos se adaptaram à nova rotina virtual, 76,8% continuam praticando atividades extracurriculares e 64% acreditam que a dedicação aos estudos é maior quando existem horários fixos


POR AMANHECER DA NOTICIAS

A rotina de estudos virtuais está sendo bem aceita por grande parte dos estudantes de 15 a 17 anos que tiveram acesso à nova modalidade educacional adotada em decorrência da pandemia da COVID-19. A maioria dos jovens diz preferir acompanhar aulas ao-vivo e continua investindo na prática de atividades extracurriculares para aprimorar conhecimentos durante o período de isolamento social.

Os dados são resultados de uma pesquisa realizada pelo Colégio Poliedro, um dos mais reconhecidos do País, com alunos do Ensino Médio das unidades de São Paulo, São José dos Campos e Campinas, durante o mês de abril.

Com o isolamento social, o Colégio Poliedro criou uma série de iniciativas para manter a atividade pedagógica em dia, incluindo aulas ao vivo pela web, videoaulas com conteúdo inédito e revisão de matérias, simulados digitais, lives para discutir atualidades, materiais de apoio, entre outras, tudo em ambiente virtual.

O levantamento aponta que, dos 826 respondentes, 72,3% declararam ter se adaptado às aulas pela internet, enquanto 27,7% ainda não conseguiram se acostumar com as mudanças. Entre os motivos apontados, estão a dificuldade em criar uma rotina de estudos produtiva, em manter o foco e em acompanhar conteúdos pela internet.

Além disso, 64% dos alunos declaram que a dedicação aos estudos é relativamente maior quando existem horários fixos para cada atividade. Neste sentido, 74,4% acham que a absorção de conteúdo é potencializada com as aulas ao-vivo, enquanto 25,6% preferem as aulas gravadas, que permitem a consulta a qualquer momento do dia.

A pesquisa ainda mostra que a maior parte dos alunos continua investindo na prática de atividades extracurriculares a distância para complementar sua formação. Ou seja, 76,8% permanece exercendo as tarefas, enquanto 23,1% pararam temporariamente.

Os treinos de redação também continuam virtualmente e são bem recebidos por grande parte dos estudantes. 85% dizem ter feito envios de textos para o sistema de correção virtual do Colégio Poliedro e afirmam ter facilidade para utilizar a plataforma.

"Criamos diversas ações com o objetivo de minimizar ao máximo o impacto da restrição social e proporcionar uma rotina de estudos semelhante à que os alunos teriam nas aulas presenciais. O conteúdo segue uma grade definida pela coordenação pedagógica, em total alinhamento com o cronograma didático estabelecido para o ano, mas é natural e inevitável que alguns alunos ainda encontrem dificuldades durante a transição para o ambiente virtual. Por isso, fazemos todo o acompanhamento pedagógico e emocional, visando a dar o máximo de atenção possível para quem está sendo impactado", explica Rodrigo Fulgêncio, diretor de Unidades Escolares do Poliedro.

Sobre o Colégio Poliedro

Com sedes em Campinas, São José dos Campos e São Paulo, o Colégio Poliedro trabalha dia a dia com a missão de formar e transformar jovens do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio em cidadãos atuantes, protagonistas e conscientes de seu papel e de sua responsabilidade na sociedade. 

Para enfrentar o desafio de educar, o Colégio tem como proposta de formação a valorização do conhecimento em um ambiente estimulante, onde se destacam a dedicação, a autonomia e a tecnologia.  

 Cirurgias de hérnia abdominal caem 29% nos primeiros dias da pandemia no Brasil

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.