Header Ads

Pedágios em rodovias de São Paulo passam a aceitar cartões para pagamento por aproximação

Com a novidade, basta ao usuário aproximar seu cartão do terminal instalado ao lado de fora da cabine de pedágio para realizar o pagamento.


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Desde o início de maio, usuários que possuem cartões de crédito e débito com tecnologia de pagamento por aproximação já podem usar essa modalidade nas praças de pedágio de dois importantes sistemas rodoviários do Estado de São Paulo: o das rodovias Anchieta e Imigrantes, administradas pela Ecovias, e o trajeto compreendido pelo Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, da Ecopistas.

Com a novidade, basta ao usuário aproximar seu cartão do terminal instalado ao lado de fora da cabine de pedágio para realizar o pagamento. Nesse tipo de transação, tanto o terminal quanto os cartões compatíveis estão equipados com a tecnologia NFC (Near Field Communication), que realiza a transmissão de dados entre os dispositivos, sem que haja contato e sem necessidade de digitação de senha para valores até R$ 50.

De acordo com a Abecs, associação que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento e que vem incentivando o uso dessa modalidade nos últimos anos, o pagamento por aproximação cresceu 565% em 2019, movimentando um total de R$ 6 bilhões. "Trata-se de uma modalidade inovadora, usada no mundo todo, que vem crescendo cada vez mais no Brasil em diferentes segmentos, como o comércio em geral, o transporte público e agora, com esse importante projeto, nas praças de pedágio", afirma Pedro Coutinho, presidente da Abecs.

No momento, a modalidade é aceita em 11 praças de pedágios operadas pelas duas concessionárias. A novidade, que faz parte de um projeto piloto encabeçado pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), além de garantir maior comodidade e eficiência ao sistema de recolhimento de pedágio, beneficiando milhões de usuários, também ajuda a conter a disseminação do novo coronavírus, por reduzir o contato entre o operador da cabine de pedágio e o motorista e evitar a manipulação de dinheiro.

 Eficiência hídrica no agronegócio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.