Header Ads

Motorola doa solução para acompanhamento de pacientes de covid-19 para o Hospital de Clínicas da Unicamp

Software monitora recuperados a distância após alta e faz parte das iniciativas de apoio da empresa ao combate do novo coronavírus

POR AMANHECER DA NOTICIAS

A Motorola doou ao Hospital de Clínicas da Unicamp em Campinas uma solução de acompanhamento de pacientes da covid-19 que foram atendidos no local e receberam alta. A doação faz parte das iniciativas de apoio da empresa ao combate do novo coronavírus.

Ao receber alta do hospital, o paciente receberá uma papeleta com um QR Code com o nome e o CRM do médico responsável pelo monitoramento remoto. Ao ser escaneado, o código abre um browser customizado no smartphone, sem a necessidade de baixar e instalar nenhum aplicativo. Com isso, é possível monitorar o paciente durante 14 dias após a internação, sem que ele precise se deslocar até o hospital.

Para tanto, o paciente tem que responder diariamente a cinco perguntas simples sobre seu estado de saúde, como temperatura corporal, tosse, cansaço e falta de ar nas últimas 24 horas. Com base nas respostas, caso sejam detectados sintomas do coronavírus e identificados sinais de alerta, os dados serão enviados aos médicos, que entrarão em contato com o paciente, para dar orientações e encaminhá-lo a uma Unidade de Saúde.


Segundo Plínio Trabasso, epidemiologista responsável pela solução de acompanhamento da covid-19 no HC da Unicamp, a medida traz maior conforto para o paciente, e também colabora com o isolamento social, pois reduz o trânsito potencial do vírus na comunidade. "Por se tratar de uma doença nova, muitas pessoas sentem-se inseguras em relação a uma eventual evolução com maior gravidade. Desse modo, ter um médico - mesmo a distância - monitorando sua evolução e um canal aberto com o hospital, sem que o paciente precise sair de casa, aumenta a sensação e o grau de confiabilidade", conclui Trabasso.

O projeto foi desenvolvido em tempo recorde, e uniu cinco áreas diferentes, com cerca de dez pessoas trabalhando na criação da solução, incluindo quatro do Instituto Eldorado, parceiro da empresa, explica Benicio Goulart, gerente de Desenvolvimento de Software da Motorola.

"Foi um esforço em conjunto de diversas áreas, dada a situação emergencial da pandemia, que levou apenas 15 dias para ficar pronto, desde o início até ser entregue ao time de desenvolvimento do HC, para começar a testar o piloto", explica Goulart.

Com a solução, o monitoramento ficou muito mais eficiente e rápido. Antes, um atendente do HC fazia ligações diárias para cada um dos pacientes, fazendo as perguntas e tabulando as informações para depois encaminhá-las a um médico.

Agora, o responsável clínico recebe o questionário dos pacientes em tempo real. Caso constate um caso grave, o médico pode ligar diretamente para a pessoa monitorada e indicar - inclusive - uma nova internação.

"Essa solução poderá ser estendida para outros hospitais de rede pública, até mesmo para o acompanhamento futuro de outras doenças", completa Edilson Silva, gerente de Desenvolvimento de Software na área de Dogfooding da Motorola.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.