Header Ads

Fim de maio muito gelado no Brasil

A última semana de maio de 2020 está tendo noites e começos de manhãs gelados em muitas áreas do país por causa da passagem de uma grande e forte massa de ar frio de origem polar que começou a se espalhar sobre o Brasil no início da semana.


POR AMANHECER DA NOTICIAS

O frio intenso da madrugada desta quarta-feira, 27 de maio, causou geada em muitas áreas dos estados do Sul, nos estados de São Paulo e no Sul de Minas Gerais.

Na Região Sul, a menor temperatura medida pelo INMET foi de -1,8°C em General Carneiro, no Paraná. No Sudeste, a menor temperatura ocorreu em Monte Verde, no Sul de Minas Gerais, com -1,7°C. Na Região Centro-Oeste, a menor temperatura em 27 maio registrada pelo INMET foi de 3,8°C em Rio Brilhante, em Mato Grosso do Sul.

O centro desta massa de ar frio, que é a região onde o frio é mais intenso, passou sobre o Sul do Brasil nesta quarta-feira, 27, e se desloca para o leste de São Paulo nesta quinta-feira, 28. Assim, a Região Sudeste tende a esfriar mais ainda. Ainda há condições para geada ao amanhecer nos três estados da Região Sul, no sul de São Paulo e na serra da Mantiqueira, em áreas dos estados de São Paulo, Minas Gerais (Sul de Minas) e Rio de Janeiro.

Durante a sexta-feira, 29, o centro do ar frio já estará no mar, mas perto do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro, ms ainda vai causar bastante frio.

O frio diminui no último fim de semana de maio, a medida que esta forte massa de ar frio de origem polar for se afastando do país.

Confira agora os locais onde a temperatura ficou igual ou abaixo de 5,0°C no Brasil em 27/5/2020 , nos registros das estações automáticas pelo INMET - Instituto Nacional de Meteorologia

UF

Cidade

T min em 27/5/2020 (°C)

PR

General Carneiro

-1,8

MG

Monte Verde

-1,7

SP

Campos do Jordão

-0,4

PR

São Mateus do Sul

-0,3

MG

Maria da Fé

-0,3

RJ

Itatiaia-Parque Nacional (2450 m de altitude)

0,0

SC

Caçador

0,1

MG

Caldas

0,9

PR

Castro

1,2

SC

São Joaquim

1,9

SC

Bom Jardim da Serra/Morro da Igreja

2,0

RS

Serafina Corrêa

2,0

SP

Rancharia

2,1

SC

Major Vieira

2,1

SC

Rio Negrinho

2,4

PR

Joaquim Távora

2,6

SC

Joaçaba

2,7

SC

Curitibanos

2,7

MG

São Sebastião do Paraíso

2,9

SP

Ituverava

3,1

SP

Pradópolis

3,3

RS

São José dos Ausentes

3,3

RS

Lagoa Vermelha

3,3

SP

São Miguel Arcanjo

3,4

SC

Itapoá

3,5

RJ

Nova Friburgo-Salinas (zona rural)

3,5

RS

Dom Pedrito

3,6

MG

Passa Quatro

3,7

MG

Patrocínio

3,7

SP

Cachoeira Paulista

3,8

SP

São Luís do Paraitinga

3,8

RS

Quaraí

3,8

MS

Rio Brilhante

3,8

PR

Clevelândia

3,9

SP

Ariranha

4,0

SP

Floresta Nacional de Ipanema/Sorocaba-Iperó

4,0

SC

Lages

4,0

SP

Ourinhos

4,1

RS

Vacaria

4,1

MG

Bambuí

4,1

RS

Santa Rosa

4,2

RS

Passo Fundo

4,3

SP

Taubaté

4,4

PR

Ivaí

4,5

SP

São Carlos

4,6

PR

Inácio Martins

4,6

SC

Rio do Campo

4,7

SC

Urussanga

4,8

MG

Divinópolis

4,8

RS

Cambará do Sul

4,9

RS

Bagé

4,9

RS

Ibirubá

4,9

PR

Dois Vizinhos

4,9

SC

Campos Novos

5,0

MS

Amambaí

5,0

MG

Florestal

5,0

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.