Header Ads

Coronavírus: não há motivo para pânico

*Por Paula V. Carnevale Vianna, mestre em Infectologia, doutora em Medicina Preventiva e coordenadora do curso de Medicina da Universidade Anhembi Morumbi em São José dos Campos

       © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

No Brasil, a identificação e acompanhamento de casos suspeitos de coronavírus nCoV-2019 significa que o SUS (Sistema Único de Saúde) está realizando sua função de vigilância e controle sanitário. Apenas três casos foram confirmados até o momento. As autoridades sanitárias, nos portos e aeroportos; os médicos e equipes de saúde, nos hospitais, unidades básicas de saúde, consultórios e clínicas; e o serviço de vigilância epidemiológica, estão atentos, informados e se comunicando para adotar os protocolos adequados de prevenção e cuidado. Uma combinação de três fatores - o fato de a China ser o país mais populoso do mundo, a mobilidade populacional característica do mundo globalizado e a alta infectividade - fazem o vírus circular pelo mundo muito rápido. Esses poucos casos identificados no país não são alarmantes. A maior parte das infecções deve ser branda. Nossa sugestão? Mantenha-se informado, consultando fontes seguras de informação, adote os cuidados básicos de higiene e prevenção e fique tranquilo. O alerta, até o momento, é para os serviços de saúde e de monitoramento e vigilância, pois a melhor forma de conter uma epidemia é identifica-la logo no início.

O que é o coronavírus?

Este é o nome de uma família de vírus, identificada e conhecida desde a década de 1960. Diversos tipos de vírus ou cepas da família coronavírus são encontradas na natureza, em reservatórios vegetais ou animais e algumas infectam seres humanos. A transmissão entre humanos se dá de pessoa para pessoa, durante o período sintomático. O quadro clínico mais comum provocado pelos coronavírus são infecções respiratórias, em geral, leves e autolimitadas, ou seja, resolvem-se espontaneamente. Manifestam-se como um resfriado comum - a pessoa apresenta febre baixa e se queixa de coriza, mal-estar, dor de garganta e tosse. Muitos de nós já tivemos contato com vírus dessa família, sem qualquer repercussão mais grave. Os vírus, no entanto, podem sofrer mutações e provocar quadros de maior gravidade. Foi o que aconteceu em 2002, com a associação de uma nova cepa de coronavírus à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). Mais de 8 mil pessoas foram identificadas nos cinco continentes do mundo (o que caracteriza uma pandemia) e cerca de 800 pessoas morreram. Em 2012, outro novo coronavírus foi isolado e associado a um surto de síndrome respiratória aguda na Arábia Saudita. A epidemia ficou limitada ao Oriente Médio e por essa razão ficou conhecida como MERS, sigla em inglês para Síndrome Respiratória do Oriente Médio. Em dezembro de 2019, uma nova cepa foi identificada em Wuhan, na China, e associada a quadros respiratórios de maior gravidade. As pessoas com maior risco para apresentarem a forma grave da doença são os homens com mais de 60 anos, tabagistas e que apresentem também outras doenças, como hipertensão e doenças respiratórias.

As pessoas que foram para um dos países com grande circulação do vírus, entre eles, a China e a Itália, ou tiveram contato com pessoas com doença confirmada por Coronavírus devem ficar atentas para o aparecimento de sintomas (febre, coriza, dor de garganta, tosse, mal-estar). Se isso ocorrer devem procurar serviço médico e informar o histórico de viagem e contato.

É importante atentar para o fato de que, além de não se alarmar, a população deve adotar as recomendações de prevenção para todas as infecções respiratórias virais:

• lavar sempre as mãos com água e sabão e evitar levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca;

• ter um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos sempre estejam esterilizadas;

• manter hábitos saudáveis, alimentar-se bem e beber bastante água;

• não compartilhar utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros;

• evitar frequentar locais fechados ou com muitas pessoas.


* A especialista está disponível para entrevistas sobre o tema, bem como outras doenças infecciosas.

Sobre a Universidade Anhembi Morumbi

A Universidade Anhembi Morumbi é a primeira instituição internacional de ensino superior do Brasil. Desde 2005, faz parte da rede internacional de universidades Laureate, maior rede global de instituições de ensino superior, com mais de 850 mil estudantes matriculados em 25 instituições presenciais e online.
São oferecidos programas de Graduação, Graduação Tecnológica e Pós-graduação Lato Sensu e Stricto Sensu, distribuídos nas áreas de Ciências da Saúde; Turismo e Hospitalidade; Negócios; Direito; Artes, Arquitetura, Design e Moda; Comunicação; Engenharia e Tecnologia e Educação. Seus oito câmpus estão localizados nas regiões da Avenida Paulista, Vila Olímpia, Mooca, Morumbi, Vale do Anhangabaú, São José dos Campos e Piracicaba.
A Universidade Anhembi Morumbi possui laboratórios de última geração e diferenciais como a internacionalidade, já tendo enviado, desde 2006, milhares de alunos do Brasil para realização de cursos no exterior, além de receber centenas de estudantes estrangeiros em seus câmpus, que se tornaram locais multiculturais para o aprendizado.
Outras vantagens: a titulação internacional, que permite ao estudante o acesso a certificação do Brasil e de uma instituição no exterior e o Anhembi Carreiras (http://carreiras.anhembi.br), um portal de empregabilidade da Universidade Anhembi Morumbi com serviços de preparação para o mercado de trabalho e conteúdos exclusivos para o desenvolvimento da trajetória profissional.

Sobre a Laureate Brasil

A Laureate Brasil, integrante da rede global líder em ensino superior Laureate International Universities, é formada por 12 instituições, com mais de 50 campi em oito estados brasileiros, 309 mil alunos e polos em diversos locais do país na modalidade de educação digital. Fazem parte do grupo mundial: Business School São Paulo (BSP); CEDEPE Business School; Complexo Educacional FMU/FIAM-FAAM; Centro Universitário do Norte (UniNorte); Centro Universitário IBMR; Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter); Centro Universitário FADERGS; Centro Universitário UniFG; Faculdade Internacional da Paraíba (FPB); Universidade Anhembi Morumbi (UAM); Universidade Potiguar (UnP); Universidade Salvador (UNIFACS); e EAD.br.



Sobre a Laureate International Universities

A Laureate International Universities é a maior rede global de instituições de ensino superior, com mais de 850 mil estudantes matriculados em 25 instituições presenciais e online, em mais de 150 campi, com programas de graduação e pós-graduação (lato e stricto sensu) de qualidade e focados na empregabilidade dos estudantes, em uma ampla gama de áreas de conhecimento. A organização é a maior Empresa B Certificada® do mundo na área de educação e tem a missão Here for Good, que significa estar aqui para o bem e para sempre, pois acredita que quando os alunos obtêm sucesso, países prosperam e a sociedade é beneficiada. Saiba mais em: http://www.laureate.net

 10 Dicas de segurança para as mulheres

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.