Header Ads

Usuários de bikes e patinetes Grow rodaram 49 mil quilômetros por mês em Campinas

Grow divulga balanço com dados inéditos dos primeiros sete meses de operação na cidade.

        © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Em sete meses, os usuários de patinetes elétricas e bicicletas compartilhadas da Grow ⏤ dona das marcas Grin e Yellow ⏤ percorreram, em média, 49 mil quilômetros mensais em Campinas. Isso equivale, por exemplo, a cerca de 255 viagens ida e volta para São Paulo. A cidade registrou forte adesão aos modais de micromobilidade desde o início da operação, atingindo rapidamente uma média mensal padrão que se mantém constante. Sábados e domingos são os dias preferidos pelos usuários, liderando o ranking de corridas. Os dados fazem parte do primeiro balanço da operação da Grow em Campinas, que será encaminhado à Prefeitura nesta quinta-feira (5). O levantamento foi elaborado pela equipe de Pesquisas em Mobilidade e Políticas Públicas da Grow e engloba os primeiros sete meses de atuação da empresa na cidade, de janeiro a agosto de 2019.

O objetivo da Grow é colaborar com a Prefeitura no desenvolvimento de políticas públicas que contribuam com o avanço da mobilidade urbana na cidade, auxiliando a equipe técnica na construção de um sistema de transportes mais eficiente, ambientalmente saudável, com mais qualidade de vida para os cidadãos e menor dependência do uso do automóvel. Se posto em prática, o levantamento pode trazer efeitos benéficos para a mobilidade urbana de Campinas, como o estímulo à criação de estruturas cicloviárias.

O levantamento apontou, por exemplo, a necessidade de melhoria das conexões e conservação das ciclovias nas vias de acesso à Unicamp e, também, dentro da própria universidade, para facilitar o deslocamento entre os prédios do campus. Ou seja, a implantação de infraestrutura nas ruas é essencial para garantir segurança dos usuários e estimular o uso de modos ativos.

"Essas informações são essenciais para auxiliar o poder público local a direcionar o investimento e otimizar resultados, dando eficiência às transformações urbanas, tão necessárias para a humanização das cidades e para a melhoria da mobilidade", avalia Renata Greco, analista de Relações Governamentais e Institucionais da Grow. "O sistema de compartilhamento de bicicletas e patinetes tem papel relevante na mudança de paradigma necessária, tornando as cidades mais inteligentes, sustentáveis e humanas", complementa.

Perfil das viagens com bicicletas

De acordo com o levantamento, nos finais de semana há um fluxo grande de viagens de bicicletas nas áreas do Parque Portugal e da Rua Sérgio Buarque de Holanda, na Unicamp, o que aponta uso voltado ao lazer. Já durante a semana, além do Parque Portugal, foi registrada uma forte circulação em Barão Geraldo - próximo à Avenida Albino José Barbosa de Oliveira - e, em toda região da Unicamp.

Nos dias úteis, as quartas-feiras registram o maior volume de viagens, enquanto segundas e terças-feiras são os dias de menor volume. Já os finais de semana apresentam número de corridas mais expressivo, com domingo liderando o ranking.



Bicicletas: domingo registra maior volume de viagens

Durante a semana, as viagens possuem comportamentos semelhantes. O volume maior ocorre nos períodos da tarde, com pico registrado por volta das 17h. Esse perfil de viagem indica uma utilização para transporte nos deslocamentos trabalho-casa e/ou casa-estudo.

Já aos finais de semana, o pico das viagens ocorre no período da manhã, por volta das 9h, e há um segundo pico a partir das 16h. O volume de viagens aos domingos é maior do que aos sábados, mas os horários mais intensos de viagens são semelhantes.



Não é só lazer: durante a semana, há mais viagens registradas nos períodos da tarde, com pico registrado por volta das 17h

As viagens possuem características diferentes entre dias úteis e finais de semana. Enquanto aos sábados e domingos as pessoas pedalam em média 2,6 quilômetros em 23 minutos (velocidade média de 6,8 km/h), em dias úteis a distância média é de 2,2 quilômetros em 15,6 minutos (velocidade de aproximadamente 7,2 km/h).

Perfil das viagens com patinetes

De acordo com o relatório, nos finais de semana há um grande fluxo de viagens na região do Parque Portugal com a Praça Arautos da Paz, bem como por toda a extensão da Unicamp. Nos dias de semana, além dessas mesmas áreas, há uma grande concentração de viagens ao redor da Rua Ferreira Penteado - próximo ao Centro de Convivência -, nos arredores do Tênis Clube de Campinas, bem como nas proximidades do Shopping Parque Dom Pedro, PUC-Campinas (Campus I), Hospital das Clínicas da Unicamp e no Instituto de Biologia.

As quartas e sextas-feiras apresentam o maior volume de viagens em dias úteis, enquanto segundas-feiras têm o menor volume. Nos finais de semana, o índice de corridas é mais elevado, com domingo liderando o ranking, assim como no caso das bicicletas.



Patinetes: Quartas e sextas-feiras registram o maior volume de corridas dos dias úteis

Nos finais de semana, o pico das viagens ocorre no período da manhã, com um maior número às 11h e a partir das 16h, sendo o domingo o dia mais intenso. Já durante a semana, assim como no caso das bicicletas, a maior quantidade de viagens ocorre no período da tarde, com pico registrado às 17h.



Nos dias úteis, o comportamento e a quantidade de corridas são semelhantes

As viagens têm características diferentes entre dias úteis e finais de semana. Enquanto aos sábados e domingos as pessoas andam em média 2,3 quilômetros em 19 minutos (velocidade média de 7,3 km/h), em dias úteis a distância média é 1,6 quilômetro em 16 minutos (velocidade de 6 km/h).

Planejamento

Além de beneficiar milhares de usuários em seus deslocamentos diários, a operação de patinetes elétricas e bicicletas dockless (sem estações fixas) também apresenta subsídios ao poder público para o planejamento da mobilidade urbana.

Neste primeiro relatório, foi feita uma análise dos locais onde há viagens de patinetes elétricas e bicicletas e a relação desses equipamentos com a infraestrutura cicloviária existente ⏤ ciclovias, ciclofaixas e calçadas compartilhadas.

O levantamento sugere a melhoria das conexões e conservação das ciclovias nas vias de acesso à Unicamp e, também, dentro da própria universidade para facilitar o deslocamento entre as faculdades. A implantação de infraestrutura nas ruas é importante para garantir segurança dos usuários e estimular o uso de modos ativos. No caso específico das patinetes, o relatório aponta que o bairro Cambuí pode ser beneficiado com uma malha cicloviária amigável a esse tipo de modal.

Sobre a operação em Campinas

A Grow ⏤ detentora dos patinetes Grin e Yellow ⏤ opera em Campinas com bicicletas e patinetes elétricas desde janeiro de 2019.

Dicas para o uso seguro do modal:

- Antes de sair, planeje o caminho;

- Use sempre o capacete bem preso à cabeça e ajustado adequadamente;

- Não trafegar com mais de 1 pessoa;

- Idade mínima de 18 anos para locação de equipamentos;

- Dê sempre preferência ao pedestre. Lembre-se: o pedestre é o mais vulnerável. É obrigação de todos cuidar da sua segurança;

- Não use celular nem fone de ouvido enquanto conduz a bike ou o patinete. Esteja atento a sua condução;

- Respeite sempre os semáforos e as sinalizações de trânsito;

- Jamais conduza a bike ou o patinete se houver ingerido álcool;

- Segure sempre o guidão com as duas mãos;

- Esteja atento a irregularidades nas vias, como buracos, bem como galhos e árvores que possam oferecer riscos no seu trajeto.

Sobre a Grow

A Grow é uma holding que nasceu em janeiro de 2019, resultado da fusão entre as empresas de patinetes e bicicletas compartilhadas Grin e Yellow. A empresa está presente em 7 países e 23 cidades da América Latina ⏤ sendo 15 delas no Brasil. Terceira maior companhia de micromobilidade do mundo, a Grow alcançou, em junho de 2019, a marca de 10 milhões de corridas realizadas desde o início das operações da Grin e Yellow, em agosto de 2018.

Empresa pioneira na implantação do sistema de compartilhamento de patinetes elétricas no México, a Grin é uma startup de micromobilidade urbana que, por sua vez, surgiu em dezembro de 2018, fruto da fusão com a brasileira Ride, também pioneira no país.

A Yellow, empresa brasileira de soluções de mobilidade urbana individual fundada em junho de 2017, foi pioneira no compartilhamento de bicicletas em sistema dockless (redistribuição livre, sem estação para retirada e devolução), liberadas por meio de um aplicativo de celular.

A visão da Grow é disponibilizar "condução barata e divertida". Seus principais objetivos são revolucionar a forma como as pessoas se locomovem por meio de alternativas de transporte, principalmente para as chamadas "primeira e última milha" das viagens urbanas; além de melhorar a circulação de pessoas em centros urbanos; otimizar os deslocamentos; e integrar diferentes modais de transporte.

 Pernambuco promove iniciativas em prol de pacientes com doenças neuromusculares

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.