Header Ads

Ablação por micro-ondas é o mais novo recurso para tratamento do câncer no Hospital Vera Cruz

Consolidado em centros oncológicos pelo mundo, método é menos invasivo, permite recuperação mais rápida e preserva órgão onde o tumor está alojado

         © jpg

POR AMANHECER DA NOTICIAS

O Hospital Vera Cruz, em Campinas, em mais uma atitude de vanguarda, oferece o procedimento de ablação tumoral por micro-ondas, recém-chegado ao Brasil e que é ainda restrito à maioria dos hospitais do País. O método, já consolidado nos principais centros oncológicos mundiais, é indicado para alguns tipos de neoplasias malignas (tumores) primários ou secundários (metástases provenientes de outros órgãos) de fígado, rim, pulmão, glândulas adrenais e ossos, sendo considerado um tratamento menos invasivo e mais rápido.

A técnica de ablação por micro-ondas representa um dos desenvolvimentos mais recentes no campo da ablação e chega para agregar e otimizar o arsenal terapêutico dentro da oncologia pela radiologia intervencionista do Hospital Vera Cruz, pioneiro a oferecer o serviço na Região Metropolitana de Campinas.

De acordo com o Dr. Thiago Penachim, radiologista intervencionista do Vera Cruz, a maior vantagem da ablação por micro-ondas é proporcionar uma rápida recuperação do paciente com alta após um dia de internação na maior parte dos casos, além de preservar a função dos órgãos nos quais o tumor está alojado. Conforme o especialista, para alguns tipos de tumor, as técnicas ablativas demonstram resultados semelhantes àqueles obtidos através de cirurgias. “A menor invasividade deste tratamento permite que o procedimento seja repetido, caso necessário, em situações como recidivas (surgimento de novas lesões) ou tumores residuais”, destaca o médico.

Como funciona

O paciente pode receber anestesia geral ou, em alguns casos, apenas sedação consciente. O procedimento consiste na introdução de uma agulha no interior tumor. O médico guia a inserção do dispositivo através de recursos de imagem, como ultrassom ou tomografia computadorizada, que exibem precisamente a posição da agulha e da lesão. Quando o instrumento está no local exato, um gerador é acionado, levando a emissão de micro-ondas na ponta da agulha. A liberação das ondas eletromagnéticas provoca a movimentação de moléculas de água, que elevam a temperatura local para acima de 70ºC, destruindo a lesão pelo calor em poucos minutos, sem a necessidade de removê-la cirurgicamente.

O Dr. Penachim alerta que apesar das indicações dos procedimentos ablativos serem bastante amplas, nem todos os pacientes com neoplasias podem se beneficiar da metodologia. Condições como o tipo e natureza do tumor, seu tamanho e localização influenciam diretamente na escolha do tipo de terapia oncológica, que deve ser individualizado para cada paciente. “A decisão do melhor tratamento a ser instituído deve ser feita por meio de discussão multidisciplinar entre as diferentes especialidades médicas envolvidas e principalmente pelo paciente”, indica o radiologista.

A conduta pode ser usada também no intra-operatório, associado à cirurgia hepática. Neste caso, o processo torna alguns doentes, antes considerados com doença irressecável pelo número e localização das lesões malignas no fígado, em doentes operáveis com potencial de cura.

É importante lembrar que outros métodos de ablação tumoral térmica já são empregados como opção de tratamento do câncer no Hospital Vera Cruz desde 2009, através do calor como na ablação por radiofrequência ou do frio como na crioablação, principalmente para pacientes oncológicos que não podem operar ou cuja cirurgia representaria alto risco.

Sobre o Hospital Vera Cruz

Em 75 anos de existência, o Hospital Vera Cruz é reconhecido pela qualidade de seus serviços, capacidade tecnológica, equipe de médicos renomados e por oferecer um atendimento humano que valoriza a vida em primeiro lugar. O Vera Cruz dispõe de 167 leitos distribuídos em diferentes unidades de internação, em acomodação individual (apartamento) ou coletiva (dois leitos) e UTIs e maternidade. A Instituição conta também com setores de Quimioterapia, Hemodinâmica, Câmara Hiperbárica Monoplace, Radiologia (incluindo tomografia, ressonância magnética, densitometria óssea, ultrassonografia e Raio X), e laboratório com o selo de qualidade Fleury Medicina e Saúde.

Em outubro de 2017, a Hospital Care tornou-se parceira do Vera Cruz tendo 65% das ações. Os outros 35% se mantém com 115 médicos acionistas. Em dois anos, a aliança registra importante avanço na prestação de serviços gerado por investimentos em inovação e tecnologia. Em médio prazo, o grupo prevê expansão no atendimento com a criação de dois novos prédios erguidos na frente e ao lado do hospital, totalizando 17 mil m2 de áreas construídas a mais.

Desde maio, o Hospital Vera Cruz passou a gerir a Casa de Saúde, também em Campinas, viabilizando a continuidade da prestação de serviços na centenária instituição. Desde então, ações de melhorias tem sido feitas no hospital, desde recuperação do patrimônio histórico até adaptações dos quartos e consultórios e atualização dos equipamentos.

Há 30 anos o Vera Cruz inaugurou e mantém a Fundação Roberto Rocha Brito, referência em treinamentos e cursos de saúde na Região Metropolitana de Campinas, tanto para profissionais do setor, quanto para leigos, e é uma unidade credenciada da American Heart Association.

Saiba mais: www.hospitalveracruz.com.br
linkedin.com/company/hospital-vera-cruz

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.