Header Ads

razões além da idade para as rugas aparecerem na testa de maneira precoce

Cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida, explica por que alguns hábitos aceleram o envelhecimento da pele além da idade

         © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIA

Quando se fala em envelhecimento da pele, é lógico que ele naturalmente está ligado a processos intrínsecos e genéticos. Mas existem outros fatores que também devem ser analisados: e eles tem a ver com nossos hábitos. “Dois dos principais culpados por acelerar o processo de envelhecimento da pele são a exposição solar e os produtos avançados de glicação (AGEs). Os AGEs se formam quando a molécula de glicose (açúcar) reage com as proteínas do organismo. Isso gera a glicação que, somada ao excesso de radicias livres produzidos por má alimentação e outros hábitos como tabagismo e privação do sono, leva o organismo ao estresse oxidativo, que danifica o DNA das células provocando menor atividade celular, menor produção de colágeno e fibras elásticas, menor atividade de células de defesa e menor poder de cicatrização”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida. Muitos desses hábitos acentuam os vincos e linhas de expressão que surgem na testa. A médica fala abaixo sobre quatro das causas das marcas do envelhecimento além da idade:

Muita exposição solar sem proteção – Você já reparou que, quando não usamos protetor e nem óculos de sol, é quase impossível ficar exposto à radiação sem franzir a testa, principalmente quando olhamos para o sol. “Esse hábito constante vai demarcando as rugas no local, que são acentuadas pelos danos da radiação solar, que estão ligados à formação de radicais livres e destruição das fibras de colágeno”, afirma a médica. O ideal é usar fotoprotetor com FPS 30 (no mínimo), reaplicá-lo a cada duas horas e usar outros meios de proteção como chapéus, óculos de sol e procurar sombras.

Estresse alto – Pesquisas constataram que fatores externos e internos colaboram para o aparecimento do estresse, que pode causar rugas na testa, pois costumamos franzi-la para demonstrar emoções. “O estresse constante também ajuda a aumentar a inflamação na pele (e no corpo todo), por isso é necessário manter a calma e procurar ajuda psicológica para entender as motivações e procurar lidar melhor com os problemas”, diz a médica.

Alimentação inadequada – A alimentação afeta a pele de inúmeras formas e, de forma geral, o carboidrato em excesso, doces, alimentos ultraprocessados e a gordura hidrogenada podem colaborar com a destruição das fibras de colágeno, envelhecendo a pele. “Além de envolvido no processo de glicação, os doces e carboidratos em excesso podem causar inflamação no corpo por aumentar muito a produção de radicais livres. Uma alternativa é apostar nas versões integrais e com grãos, que são excelentes fontes de fibra, e atingem a corrente sanguínea mais lentamente”, diz a médica.

Queda de hormônios – Com o passar do tempo, há uma diminuição natural no nível dos hormônios sexuais, como estrogênio e testosterona, e também dos hormônios do crescimento. “A diminuição dos níveis hormonais com o envelhecimento acelera o ressecamento da pele, que se torna mais sucetível aos danos ambientais, além de prejudicar a renovação celular da pele”, explica a médica.

            De acordo com a médica, além de mudar esses hábitos, é necessário retomar uma rotina de cuidados com a pele, hidratando e usando ácidos com prescrição médica. “Para tratar o problema, dependendo da gravidade e da causa, podemos indicar procedimentos menos invasivos como lasers e ultrassons, injetáveis como a toxina botulínica, preenchedores e enxertos de gordura, ou o lifting facial, que é um procedimento cirúrgico. Consulte sempre seu médico que vai avaliar a necessidade da sua pele e prescrever o tratamento ideal”, finaliza a médica.

Fonte: Dra. Beatriz Lassance - Cirurgiã Plástica formada na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e residência em cirurgia plástica na Faculdade de Medicina do ABC. Trabalhou no Onze Lieve Vrouwe Gusthuis – Amsterdam -NL e é Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) e da American Society of Plastic Surgery. Além disso, é membro do American College of LifeStyle Medicine e do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

Black Friday em Campinas e região: faturamento deverá ultrapassar os R$70 milhões em 2019

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.