Header Ads

Seconci-SP explica os principais sintomas e tratamentos da psoríase

Dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia apontam que cerca de 5 milhões de brasileiros são portadores da doença em todo o país

         © jpg

POR AMANHECER DA NOTICIA
Nesta terça-feira, dia 29, é celebrado o Dia Nacional e Mundial da Psoríase, data que tem o objetivo de difundir informações sobre a doença e formas de melhorar a qualidade de vida dos portadores. Estimativas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) indicam que cerca de 5 milhões de brasileiros sofrem da enfermidade. Por isso, o Seconci -SP (Serviço Social da Construção) aproveita a data para explicar os principais sintomas e os tratamentos disponíveis atualmente.

A dermatologista da entidade, Marli Izabel Penteado Manini, comenta que apesar de a psoríase acometer entre 2% e 3% da população mundial, ainda há muitas dúvidas das pessoas em relação à doença. "Trata-se de uma enfermidade crônica, autoimune, não contagiosa e sem cura. Contudo, quando tratada adequadamente garante uma vida normal aos seus portadores", pondera.

A doença se manifesta com mais regularidade em adultos, entre 20 e 40 anos, mas também pode acometer pessoas em outras faixas etárias. Os sintomas mais comuns são o surgimento de placas avermelhadas espessas na pele, cobertas por escamas esbranquiçadas, em regiões como joelhos, cotovelos, unhas, mãos, pés e couro cabeludo, podendo atingir todo o corpo.

Segundo a médica, infecções, estresse, obesidade, tabagismo e o consumo excessivo de álcool são os principais gatilhos para o surgimento e agravamento dos sintomas da doença. "Para os portadores de psoríase, ter hábitos de vida saudável é fundamental para manter os sintomas controlados", recomenda.
A dra. Marli destaca que existem vários tipos de psoríase e somente o dermatologista pode identificar a modalidade e estágio da doença em que o paciente se encontra para, a partir daí, prescrever o tratamento mais adequado. O surgimento e desaparecimento dos sintomas podem variar de uma pessoa para outra, razão pela qual é fundamental o acompanhamento médico.

Em virtude da característica da psoríase, que se manifesta de forma muito particular em cada paciente, o tratamento pode envolver o uso de medicação local, via oral ou injetável, fototerapia e cremes hidratantes. "O importante é que a pessoa sempre evite a automedicação, pois pode correr o risco dos sintomas se agravarem pelo uso indiscriminado do remédio", finaliza a dermatologista.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.