Header Ads

Enem 2019: professores dão dicas para se garantir na realização do exame

Neste ano, 5,1 milhões de inscritos devem realizar as provas nos dias 3 e 10 de novembro. Confira as disciplinas mais comuns e como se preparar

        © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIA

Falta menos de um mês para a aplicação do Enem 2019 – Exame Nacional do Ensino Médio -, que ocorrerá nos dias 3 e 10 de novembro. A avaliação é a principal porta de entrada para instituições de ensino superior em todo o país, portanto, trata-se de uma prova que causa muita tensão entre os participantes. Para ajudar na preparação, professores do Colégio Objetivo Brasília dão algumas dicas aos candidatos.

"É importante que os estudantes façam um cronograma de estudos para que tenham listado aquilo que é mais cobrado em cada componente curricular, assim o aluno consegue focar nos conteúdos que costumam ser frequentes dentro da avaliação", sugeriu a pedagoga e psicopedagoga do Colégio Objetivo, Keila Espíndola.

Dentre as várias matérias presentes no exame, português, matemática e redação costumam ser as mais temidas entre os participantes, uma vez que possuem um peso importante na avaliação, além de serem intensamente cobradas.

"O candidato ao Enem em Língua Portuguesa deve ter o hábito de leitura e produção de textos (redação), caso contrário, sentirá um pouco de dificuldade em interpretar os enunciados das questões", advertiu o professor de Português do Colégio Objetivo, Josevanio Messias.

Dentre os conteúdos mais cobrados na área de Linguagens e Códigos, o professor elencou alguns temas recorrentes: funções da linguagem, tipologia textual, intertextualidade, figuras de linguagem, verbos, pronomes, coesão textual, classes gramaticais, gêneros literários, sintaxe e correção gramatical. Logo, vale a pena o participante dedicar um tempo a mais para estudá-los.

Para redação, Messias sugere a prática constante de escrita textual. "Vale também solicitar a especialistas na área que corrijam as produções, de modo a darem dicas que ajudem o candidato a melhorar a escrita", opinou. Em relação ao tema, estar atualizado acerca dos últimos acontecimentos pode ser um diferencial para o participante: "ler o que acontece no país e no mundo, em artigos e em jornais confiáveis, é crucial para que a dissertação tenha mais argumentação", sustentou Espíndola.

Na área de Exatas, o professor de Matemática Gerson Henrique sugere alguns temas prováveis para os exames. São eles:

- Matemática básica: razão, proporção, regra de três, porcentagem;

- Funções: função de reta, função quadrática, função trigonométrica;

- Geometria plana: cálculo de áreas e propriedades das figuras planas;

- Geometria espacial: cálculo de volume;

- Estatística: média, moda, mediana; análise combinatória e probabilidade.

Segundo Henrique, pode ser uma tendência nesta edição a cobrança de determinantes, matrizes e sistemas lineares.

Preparação

Neste ano, foram 5,1 milhões de inscritos para realizar a prova e tentar garantir uma vaga nas universidades brasileiras. Para conseguir se destacar, o candidato deve ir preparado para realizar o exame - não só em relação ao conteúdo, mas também tendo conhecimento acerca da estrutura da avaliação -. A pedagoga do Colégio Objetivo Brasília sugere que os inscritos refaçam avaliações de edições anteriores no intuito de ter uma melhor compreensão da linguagem, do conteúdo e do tempo de realização. "Dificilmente um aluno que não se preparou para a prova conseguirá fazê-la com tranquilidade dentro do horário de execução", afirmou Espíndola.

Municípios recebem R$ 312 milhões no segundo repasse de ICMS do mês

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.