Header Ads

Saiba como proteger a pele nos festivais de música ao ar livre

Dermatologista Dra. Kédima Nassif dá dicas para que você possa curtir seus shows favoritos sem se preocupar com o surgimento de complicações como queimaduras, envelhecimento precoce e câncer de pele.

        © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Nos últimos anos, os festivais de música têm ganhado cada vez mais popularidade, atraindo milhares de visitantes. E o Brasil é um dos destaques quando o assunto é esse tipo de evento, pois recebe quase que anualmente o Rock In Rio, considerado o maior festival musical do planeta. Porém, em meio à diversão propiciada por esses festivais, é importante tomar alguns cuidados para evitar problemas à saúde, principalmente com relação à pele, visto que, em sua maioria, esses eventos ocorrem ao ar livre, durante o dia e em exposição direta ao sol e outros agressores ambientais. “É muito comum que as pessoas se esqueçam de proteger a pele contra a radiação solar durante festivais de música e outros eventos ao ar livre. Porém, proteger a pele é fundamental, pois a exposição a luz solar durante esses eventos tende a ser prolongada e intensa, podendo facilmente levar a complicações como queimaduras, envelhecimento precoce e até mesmo câncer de pele”, explica a dermatologista e tricologista Dra. Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Dessa forma, é importante que os apaixonados por shows e músicas se lembrem sempre de utilizar o fotoprotetor durante toda a duração do festival. De acordo com a médica, o ideal é que esse produto tenha FPS de, no mínimo, 30 e, pelo menos, 1/3 desse valor de PPD, protegendo assim tanto contra a radiação UVB quanto a UVA, respectivamente. Além disso, é importante que o produto seja aplicado de 20 a 30 minutos antes de sair de casa para que possa começar a agir antes de você se expor ao sol. “E nada de deixar o filtro solar em casa, pois a reaplicação do fotoprotetor ao longo do dia é fundamental para garantir sua eficácia. Até mesmo se o produto for à prova d’água ou resistente ao suor é importante reaplicá-lo a cada duas horas, pois os filtros solares tendem a perder sua eficácia quando não são reaplicados após sudorese intensa”, destaca. E mesmo se você der azar e a data do festival de música cair naquele dia nublado e chuvoso, saiba que o fotoprotetor continua sendo indispensável, pois a radiação consegue atravessar as nuvens e causar danos assim como em dias ensolarados.

Outra maneira de curtir o festival sem precisar se preocupar com os danos do sol na pele é através da utilização de barreiras físicas, como óculos de sol, que devem ter lentes com proteção UVB para evitar danos aos melanócitos oculares e região das pálpebras, e chapéus e roupas, que, preferencialmente, devem ser feitos de tecidos que contam com substâncias capazes de proteger contra os raios solares, principalmente contra a radiação UVB. “Roupas comuns até são capazes de proteger contra o sol, porém, em menor intensidade, já que permitem a passagem de parte dos raios ultravioletas pelas fibras dos tecidos”, afirma a dermatologista. Porém, a Dra. Kédima ressalta que nenhuma dessas medidas acima deve substituir o uso do fotoprotetor, devendo apenas complementar sua ação. Afinal, o produto ainda é a melhor maneira de proteger a pele contra os danos causados pela radiação solar.

E os cuidados não param após o fim do festival. Ao chegar em casa, é importante que você invista em uma poderosa rotina skincare capaz de remover a sujidades acumuladas na pele (e o fotoprotetor) e tratar os danos que o tecido pode ter sofrido durante o dia. É fundamental, por exemplo, fazer uso de um sabonete facial ou espuma de limpeza com fórmula cremosa e suave que seja capaz de remover a oleosidade e sujidade da pele sem agredi-la. Em seguida, a dermatologista recomenda que você faça uso de máscaras faciais hidratantes e calmantes. “A hidratação tópica da pele após a exposição solar intensa é muito importante, pois, à medida que tomamos sol, nossa pele tende a desidratar-se, o que prejudica a renovação celular e consequentemente, a textura da pele”, alerta a especialista. Para evitar este problema, escolha máscaras faciais que contenham ativos como aloe vera, que possui propriedades hidratantes e calmantes ao mesmo tempo.

De acordo com a dermatologista, outra boa dica para melhorar a qualidade da pele após festivais de música é abusar da água termal. Além de refrescar a pele, a água termal auxilia na reposição dos micronutrientes e sais minerais perdidos durante o processo de transpiração, o que mantém o equilíbrio e a saúde da pele. “Para colocar isso em prática, opte por água termal em spray e deixe-a na porta da geladeira um dia antes, leva com você para o show e borrife sobre o rosto várias vezes ao longo do dia”, completa. Por fim, vale a pena ainda fazer uso de séruns noturnos ricos em antioxidantes, pois o sol acaba aumentando a produção de radicais livres, moléculas danosas que destroem as células, acelerando o envelhecimento. “Os séruns formulados com poderosos ativos antioxidantes, como Vitaminas C e E e resveratrol, vão ajudar a reduzir a quantidade dessas moléculas nocivas e evitar estragos futuros decorrentes do fotoenvelhecimento, como manchas, rugas e flacidez”, finaliza a Dra. Kédima Nassif.

DRA. KÉDIMA NASSIF: Dermatologista e Tricologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Associação Brasileira de Restauração Capilar. Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, possui Residência Médica em Dermatologia também pela UFMG; realizou complementação em Tricologia no Hospital do Servidor Público Municipal, transplante capilar pela FMABC e em Cosmiatria e Laser pela FMABC. Além disso, atuou como voluntária no ensino de Tricologia no Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo. www.kedimanassif.com.br

 Gerenciamento de risco para produtores do agro: proteção através do mercado financeiro

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.