Header Ads

Genes que causam câncer de mama podem originar o câncer de próstata

Portadoras dos códigos genéticos BRCA 1 e 2 podem transmiti-los às filhas e aos filhos

        © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIA

Em plena época de conscientização para o câncer de mama, por conta da campanha Outubro Rosa, há de se alertar de que dois genes que desencadeiam este tipo de tumor podem dar origem também ao câncer de próstata.

O urologista Dr. Sandro Faria, especialista em cirurgia robótica, afirma que os genes são herdados. Segundo ele, mulheres portadoras dos genes BRCA 1 e 2 podem transmiti-los às suas filhas e também aos filhos homens. "A presença deste gene é fator de risco para o câncer de mama e para o de próstata", reforça.

Dr. Sandro conta que as pesquisas feitas no Memorial Sloan Kettering – instituição de pesquisa e tratamento de câncer de Nova York (EUA) – mostram que até 15% dos pacientes com câncer de próstata diagnosticado possuem fator genético envolvido.

O especialista observa que, no caso do câncer de próstata, existem mais de 40 genes conhecidos envolvidos com a doença. "Por isso não há ainda um padrão definido para indicar cirurgia preventiva da próstata, como fez a atriz Angelina Jolie em relação ao gene que provoca o câncer de mama. Os genes BRCA são apenas dois destes 40, apesar de serem os mais frequentes encontrados", ressalta.

O conhecimento atual sobre o perfil genético das doenças oncológicas permitem apenas ter novas informações, mas, conforme Dr. Sandro, serão a plataforma futura de novos tratamentos. "Não está tão longe assim o cenário em que as cirurgias serão substituídas por tratamentos geneticamente direcionados", prevê.

Além do fator familiar, os outros fatores que causam o câncer de próstata são obesidade, sedentarismo, alimentos embutidos, enlatados e excesso de gordura saturada na dieta.

De acordo com o médico, a idade média de apresentação do câncer de próstata é de 65 anos. Quando há história familiar de câncer de próstata e ou de mama na família, aumenta o risco de ter a doença e a chance de acontecer em pacientes mais jovens.

Sobre Dr. Sandro Faria

O urologista Sandro Faria, que atende e opera em Campinas e em São Paulo, está entre os três médicos que mais recorrem à cirurgia robótica no Brasil. Tendo mais de 2 mil intervenções feitas com robô na carreira, realizadas em diversas partes do País, Dr. Sandro opera exclusivamente com a ferramenta desde 2010.

Um mês depois que o primeiro robô chegou ao Brasil, em 31 de abril de 2008, no Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Sandro, que tem consultório no Einstein, fez duas cirurgias de próstata na capital paulista no mesmo dia: 25 de maio de 2008, uma no Einstein e outra no Hospital Sírio-Libanês, que a esta altura havia adquirido o robô Da Vinci também. Além destas duas renomadas instituições em São Paulo, o urologista opera ainda no Hospital Vera Cruz, em Campinas.

Por ter sido um dos pioneiros no uso de robô em procedimentos cirúrgicos, Dr. Sandro, que especializou-se na técnica na Emory University (EUA), é convidado pela fabricante do Da Vinci e por hospitais de todo o País para capacitar médicos iniciantes na prática em intervenções relacionadas a câncer de próstata, tumor renal e hiperplasia prostática benigna.

 Em meio a impasses no cenário político, condições de mercado encerram segundo trimestre com estabilidade

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.