Header Ads

Saiba como transformar os aplicativos em aliados na economia doméstica

Tecnologia ajuda a comparar preços e escolher o melhor valor para o bolso do consumidor

        © jpg


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Basta dar uma olhadinha no seu celular para constatar: os aplicativos já invadiram o nosso dia a dia. Sejam aqueles para postar nas redes sociais, editar fotos e vídeos, até os que utilizamos para serviços de entrega de comida e compartilhamento de transporte. As possibilidades são inúmeras e viver sem eles hoje em dia parece impossível. Mas, muito além de grandes aliados na praticidade, os aplicativos também têm sido importantes ferramentas na hora de economizar. E, em épocas de crise econômica, toda ajuda é bem vinda nesse quesito.

Usuária assídua de tecnologias que promovem economia, a publicitária Jéssica Souza calcula que consegue economizar de 10% a 20% a mais com a ajuda dos aplicativos. "Eu sou muito preguiçosa para ficar comparando preços, por exemplo, então, apps que fazem esse tipo de serviço me ajudam muito. Também sempre há muitas promoções e, como também sou um pouco desorganizada, os que me lembram de pagar as contas me ajudam a evitar que eu pague multas e juros, o que é um gasto absolutamente dispensável, mas acontecia muito", comenta.

Diferença de preço, em alguns setores, chega a 40%

Jéssica tem razão em relação à comparação de preços: muitas vezes, os consumidores acabam pagando muito mais apenas porque não pesquisaram outras opções. E em alguns setores, essa lógica é ainda mais importante, já que os preços praticados podem variar em porcentagens grandes demais. É o caso do mercado de botijões de gás que, só na cidade de São Paulo, pode ter preços com até 40% de diferença.

"Nesses casos, além de ajudar o consumidor, a ferramenta estimula a competitividade entre diversos setores, o que é bom para o bolso e para a economia do país, já que este tipo de 'confronto' saudável tende a levar consequentemente a uma queda de preços e/ou melhora do serviço prestado", comenta Otávio Tranchesi, diretor de marketing do Chama, aplicativo que reúne revendedores de botijões de gás a consumidores.

No caso do gás, o próprio Chama é um dos aplicativos que fazem exatamente essa comparação de valores, mostrando também as formas de pagamento de cada fornecedor e o tempo de entrega. O app também aceita que o pagamento seja feito diretamente na ferramenta, o que aumenta a segurança.

Outro que tem a mesma pegada é o Ifood, que lista todos os restaurantes da região informada. Em geral, os locais acabam oferecendo promoções para chamar atenção dos usuários que estão consultando o app.

"É claro que, na hora de calcular os gastos, é importante levar em consideração não só os menores preços, mas também aquilo que é realmente importante e prioridade dentro do orçamento mensal. Com isso em mente, é só aproveitar as praticidades do próximo grande clique", finaliza Tranchesi.

Sobre o Chama

Disponível no Google Play e na App Store, o Chama é um marketplace que conecta revendedores de botijões de gás a clientes. Lançada em dezembro de 2016, a empresa reúne em um único ambiente mais de 2.000 revendedores regulamentados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Em apenas alguns cliques o usuário pode solicitar o serviço oferecido pela empresa e escolher o fornecedor que mais lhe agradar – selecionando informações como: valor cobrado, tempo de entrega e marca do produto. O serviço está presente em São Paulo, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre.

 Projeto Sustentável de bolsas Osklen recebe reconhecimento internacional em Paris

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.