Header Ads

Como imortalizar sua história ou a história de sua família e servir de inspiração às outras pessoas

 Eduardo Villela é book advisor e, por meio de assessoria especializada, ajuda pessoas, famílias e empresas na escrita.

        © escritor


POR AMANHECER DA NOTICIAS

Começo o meu texto de hoje com as últimas linhas da obra 'Uma Autobiografia', da grande Rita Lee. "A sorte de ter sido eu, de ter sido quem eu sou, de estar onde estou, não é nada, se comparada ao meu maior 'gol'. Sim acho que fiz um monte de gente feliz." A frase de realização profissional e pessoal da cantora traz o ânimo e a boa energia que eu sinto como BookAdvisor ao assessorar alguém que está escrevendo sua autobiografia

Contudo a primeira dúvida que você pode ter é: "Por que fazer um livro sobre a minha vida?". Ao escrever sobre a sua trajetória, você mostra uma nova perspectiva daquilo que as pessoas já passaram ou ainda viverão. Você também pode surpreendê-las com um assunto que elas nem têm ciência que pode acontecer com alguém. Todos nós temos memórias genuínas que compõem nosso lado Sol (felicidade, conquistas, momentos inesquecíveis de superação e crescimento pessoal) e nosso lado Sombra (derrotas, dores, tristezas e angústias) e devemos compartilhá-las pois nossas experiências e aprendizados podem ser extremamente valiosos para inspirar a caminhada de quem nos lerá.

É comum que muitas pessoas acreditem que somente famosos são dignos de biografias e autobiografias. Eu e você sabemos que isso não é verdade.

Imagine quantos histórias incríveis, de pessoas anônimas, existem por aí e nunca foram contadas? Você, por exemplo, já pensou em contar a sua própria história, a de um familiar querido ou a de sua família?

Costumo dizer que o livro é um documento vivo daquilo que a pessoa é e viveu, já que reúne em suas páginas as lições, o legado e a contribuição de cada pessoa para o mundo. Quando você decide retratar o seu próprio percurso ou o de sua família, você pode influenciar muito positivamente a trajetória de seus leitores. A vida, apesar de gostosa e emocionante, não é fácil e tem suas tantas curvas sinuosas. A forma como você agiu em situações importantes ou construiu relações sólidas podem servir de aprendizado aos seus leitores e impactá-los profundamente.

Por exemplo: um neto deseja escrever um livro sobre o seu avô, que o marcou como exemplo de vida. Para isso, haverá toda uma pesquisa familiar para que essa obra seja completa e, assim, possam se descobrir diferentes faces dessa pessoa. Não somente a forte conexão entre o neto e avô será retratada, mas sim toda a dinâmica e o contexto da família como um todo. No futuro, o bisneto poderá crescer lendo a autobiografia do avô e entenderá muito sobre as suas origens, valores, pensamentos e ações.

Outro ponto importante para frisar é que não precisa ser "velho" para trabalhar em sua autobiografia. A idade não é o que pesa sobre o protagonista da biografia/autobiografia e sim a intensidade de suas experiências vividas. Alguém que passou por várias mudanças pessoais, familiares ou profissionais tem as credenciais para contar sua história em um livro.

Ficou interessado em contar sua história ou a de alguém muito querido para você? Terei imenso prazer em te ajudar nesse projeto tão especial!

* Eduardo Villela é book advisor e, por meio de assessoria especializada, ajuda pessoas, famílias e empresas na escrita e publicação de suas obras. Mais informações em www.eduvillela.com

 Vacinação contra gripe ainda não atingiu metade da meta no País

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.