Header Ads

Philips Foundation estabelece parceria com Instituto Paulo Gontijo em prol da conscientização sobre a doença ELA .

A entidade unem esforços para levar informação á população e especialistas sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) enfermidade rara que atinge 12 mil pessoas no Brasil.

© Reprodução 


POR AMANHECER DA NOTICIAS

 A Royal Philips, empresa líder em tecnologia da saúde, por meio da Philips Foundation, anuncia uma parceria estratégica com o Instituto Paulo Gontijo (IPG) para a realização da Road Trip Vamos! Vivendo com ELA, de conscientização sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica, também conhecida como ELA, para pacientes, cuidadores, profissionais, familiares e população em geral. Degenerativa, adoença provoca a destruição dos neurônios responsáveis pelo movimento dos músculos voluntários, levando a uma paralisia progressiva que acaba impedindo tarefas simples como andar, mastigar ou falar, por exemplo. ELA acomete 12 mil pessoas no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde.

Durante um mês, o projeto passará por quatro cidades de São Paulo, sendo uma por semana: São Paulo capital, Ribeirão Preto, Campinas e São José dos Campos. A previsão é que a campanha impacte 10.000 pessoas diretamente e cerca de 1 milhão de brasileiros indiretamente. O pontapé inicial desta iniciativa acontecerá entre os dias 20 e 22 de março, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), na capital paulista. A entidade também atuará como parceira neste evento.

O projeto itinerante contará com uma van personalizada que terá uma programação repleta de atividades interativas realizadas por profissionais de diversas áreas da saúde, à disposição da população e de pacientes para prestar esclarecimentos sobre a enfermidade. A ação contará ainda com palestras clínicas para especialistas sobre práticas que contribuem para a melhor qualidade de vida de quem padece da doença. A iniciativa incluirá também testes respiratórios, experiências sensoriais, atendimento de fisioterapia respiratória e motora, assessoria jurídica, psicológica e nutricional, além de terapia ocupacional e assistência social. A segunda fase do Vamos! Vivendo com ELA será conduzida pelo IPG e incluirá seis meses de monitoramento dos pacientes identificados durante as ações.

Philips Foundation, fundação que trabalha colocando em prática a experiência, o conhecimento e as habilidades da Royal Philips, tem como missão reduzir a desigualdade na saúde, fornecendo acesso a cuidados e tratamentos de qualidade para comunidades desfavorecidas ao redor do mundo. A entidade estabelece parceria com organizações humanitárias e empreendedores sociais, além de colocar à disposição soluções significativas que reduzem o desequilíbrio no acesso à assistência médica e impactam milhares de vidas. A Philips Foundation já apoiou mais de 100 projetos em todo o mundo.

"Nosso compromisso é identificar desafios globais e utilizar todo o talento, os recursos e a especialidade da Philips para melhorar a vida das pessoas. Partindo deste princípio, queremos contribuir com o acesso à informação sobre a ELA, auxiliando na prevenção, diagnóstico precoce e garantindo, assim, uma melhor qualidade de vida aos pacientes e oferecer um suporte a seus familiares", explica Renato Carvalho, CEO da Philips do Brasil.

De acordo com Silvia Tortorella, diretora executiva do IPG, o objetivo do projeto é atender de forma integral diversos setores da sociedade para tornar a ELA mais conhecida e o atendimento aos pacientes mais acessível. "Para isso, vamos promover rodas de conversa com assistentes sociais da Prefeitura Municipal de São Paulo, aberta a pacientes, familiares, profissionais da saúde e estudantes da área", complementa.

A primeira ação do projeto contará, ainda, com o apoio da Fiesp, maior entidade de classe da indústria brasileira. A Federação possui um comitê temático com foco em Saúde e Biotecnologia que promove programas com o objetivo de disseminar informações de interesse e de utilidade pública como forma de prevenção de riscos à saúde.

"Já em seu terceiro ano, o programa +Saúde consolidou sua vocação de promover a saúde e prevenir doenças com a ferramenta mais poderosa, que é a informação", explica Gabriela Gazola, coordenadora-executiva do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp.
Depois de passar pela capital paulista – com uma próxima ativação prevista no Parque do Ibirapuera no dia 24 de março – a programação itinerante do projeto seguirá para o interior do Estado, marcando presença em Campinas, nos dias 27 a 29 de março, em Ribeirão Preto, de 3 a 5 de abril, e em São José dos Campos, de 10 a 12 de abril.

Soluções Philips para pacientes com dificuldades respiratórias

Entre as soluções da Philips que auxiliam na melhoria de qualidade de vida dos pacientes com dificuldades respiratórias, um dos sintomas comuns provocados pela doença ELA, está o respirador mecânico Trilogy. Portátil, com bateria e extremamente leve, este ventilador permite o fácil deslocamento dentro do domicílio, hospitais e para ambientes externos, proporcionando a máxima segurança e versatilidade aos usuários. Outro equipamento que deixa a terapia da doença mais confortável, segura e eficaz é o Cough Assist. Com uma tecnologia inovadora e por meio de uma prática não invasiva, a solução é indicada para uso em pacientes adultos ou pediátricos, incapazes de tossir ou de eliminar secreções sozinhos.

Agenda do projeto Vamos! Vivendo com ELA
Ativações na capital de São Paulo:
  • 20 a 22/03
Horário: 20/03 (das 9h às 17h); 21 e 22/03 (das 10h às 16h)
Local: Sede da FIESP (Avenida Paulista nº 1313, em São Paulo)
  • 24/03
Horário: das 8 hàs 16h
Local: Parque do Ibirapuera - Portão 10, ao lado do Museu AfroBrasil 

Sobre a doença ELA

A esclerose lateral amiotrófica, também conhecida como ELA, é uma doença neurodegenerativa que acomete os neurônios motores, gerando um quadro de fraqueza muscular progressiva até a morte do doente. A causa não é totalmente esclarecida ainda. Embora a ELA seja considerada uma doença de incidência rara – cerca de 5 casos para cada 100 mil pessoas ao ano –, representa grandes impactos pessoal e socioeconômico para o indivíduo e para a sociedade. Os principais sintomas da ELA são: fraqueza muscular, cãibras nos membros, fenômenos musculares espontâneos (fasciculações) por todo o corpo, enrijecimento (espasticidade) dos membros, alterações de voz (disfonia), de fala (disartria) e de mastigação/ deglutição (disfagia). Segundo o Ministério da Saúde, a ELA é uma das principais doenças degenerativas ao lado de Parkinson e Alzheimer, sendo mais prevalente nos pacientes entre 55 e 75 anos. Estima-se que no Brasil, 12 mil pessoas sofram da doença.

Sobre a Royal Philips

Royal Philips é uma empresa líder em tecnologia da saúde, focada em melhorar a qualidade de vida das pessoas e em permitir melhores resultados por meio do ciclo completo da saúde, que envolve desde vida saudável e prevenção, até diagnóstico, tratamento e cuidados domiciliares. A Philips se utiliza de tecnologia avançada e de profundos conhecimentos clínicos, assim como das perspectivas dos consumidores, para oferecer soluções integradas. A empresa, com sede na Holanda, é líder em diagnóstico por imagem, terapia guiada por imagem, monitoração de pacientes, informática voltada à saúde, saúde do consumidor e cuidados domésticos. Em 2018, o segmento de tecnologia de saúde da Philips alcançou 18,1 bilhões de euros em vendas e emprega cerca de 77 mil colaboradores de vendas e serviços em mais de 100 países. Para obter mais informações sobre a Philips, acesse: www.philips.com/newscenter

Sobre o Instituto Paulo Gontijo (IPG)

O Instituto Paulo Gontijo (IPG) é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), centro de referência em conhecimento, pesquisa e atendimento sobre a esclerose lateral amiotrófica (ELA) e membro da Associação Internacional de Doenças Motoras (MND Association). Sua missão é disseminar informações e desenvolver ações para melhorar a qualidade de vida do paciente, qualificar a rede de atendimento multidisciplinar e congregar investimentos para a busca da cura da doença. O IPG foi idealizado em 1999 após o físico e engenheiro civil Paulo Gontijo ter sido diagnosticado como paciente de ELA. Gontijo buscou incansavelmente a causa e a cura da doença e projetou os primeiros passos de como seria o instituto e qual deveria ser sua contribuição em prol da ciência. Em 2005, três anos após seu falecimento, a família fundou o IPG (www.ipg.org.br).

Sobre a Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) é a maior entidade de classe da indústria brasileira. Representa cerca de 130 mil indústrias de diversos setores, de todos os portes e das mais diferentes cadeias produtivas, distribuídas em 131 sindicatos patronais. O ComSaude, da Fiesp, apoia as entidades da cadeia produtiva de saúde, biotecnologia e nanotecnologia. Foi criado para estabelecer uma comunicação imparcial com todo o setor, incentivando a interlocução de pautas e visando fomentar o diálogo entre todos as partes envolvidas. As ações incluem projetos de melhoria por meio de grupos de trabalho (GTs) voltados às mais diversificadas demandas, à cooperação com entidades do setor e ao relacionamento com órgãos de governo.Com informações de Relações com Imprensa Philips do Brasil.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.