Header Ads

Com temas polêmicos, Alcolumbre faz reunião com líderes partidários

Anteprojeto do pacote anticrime enviado de Sérgio Moro e a proposta de reforma da Previdência estão na pauta

© Marcos Brandão/Agência Senado

POR NOTÍCIAS AO MINUTO



Em entrevista coletiva após a abertura do ano legislativo nesta segunda-feira (4), o presidente do Senado, David Alcolumbre, convocou reunião com as lideranças partidárias para esta terça-feira (5).

A primeira reunião do novo presidente com o colegiado de líderes já terá temas polêmicos na pauta, como o anteprojeto do pacote anticrime enviado ao Congresso pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e a vindoura proposta de reforma da Previdência do Poder Executivo.
Também deverá ser pauta da reunião as investigações sobre a primeira votação para a presidência da Casa, que foi cancelada após terem sido contados 82 votos. A investigação deverá ficar a cargo da Corregedoria Parlamentar do Senado, disse Davi Alcolumbre.
Ele afirmou que serão criadas duas comissões especiais de senadores para acompanhar as propostas anticrime e a reforma da Previdência. Ambas, inclusive, vão acompanhar as discussões e votações na Câmara, para quando os projetos chegarem, o Senado já estar um passo à frente, o que, no seu entendimento, dará celeridade aos trabalhos da Casa.
Sobre a reforma previdenciária, Davi Alcolumbre disse que o Legislativo analisará a proposta e, se necessário, promoverá alterações.
"A reforma da Previdência é hoje uma bandeira do Brasil. Os estados estão sofrendo e muitas das vezes não têm condições de pagar a folha de pagamento. O Parlamento não vai abrir mão de nossa prerrogativa de discutir e aprimorar esse projeto. O Brasil não resiste mais dois anos, os estados vão quebrar, os municípios já estão quebrados e a gente precisa resgatar esse navio em que está todo mundo navegando, a gente precisa resgatar esse navio que é o Brasil. Precisamos ter serenidade e maturidade política para fazer o que o Brasil precisa", disse o novo presidente do Senado e do Congresso.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.