Header Ads

Bolsonaro manda recado para ator americano: ‘Tenho mais o que fazer’

Kevin McHale levantou a suspeita de que o filme"Boy Erased" foi censurado no Brasil por conta da “onda Bolsonaro”

© REUTERS / Ueslei Marcelino (Foto de arquivo) 

 POR NOTÍCIAS AO MINUTO



Jair Bolsonaro se manifestou neste domingo (3) sobre as acusações recebidas nas redes sociais de que ele seria o responsável pelo cancelamento de um filme sobre a “cura gay”, que tinha estreia prevista nos cinemas brasileiros entre janeiro e fevereiro.

O filme se chama "Boy Erased" e é é inspirado no livro de memórias escrito pelo americano Garrard Conley, que levantou a hipótese de censura por parte do governo brasileiro.
O ator Kevin McHale, famoso pela série "Glee", não participa do filme, mas se manifestou nas redes sociais e fez associações com o atual momento político do país. "Bolsonaro é uma ameaça à comunidade LGBTQ+ brasileira. Censurar um filme sobre os perigos da terapia de conversão é só o começo", escreveu ele.
Ao saber da declaração do ator McHale, o presidente Jair Bolsonaro foi ao Twitter e negou qualquer tipo de censura por parte do governo brasileiro.
“Fui informado de que um ator americano está me acusando de censurar seu filme no Brasil. Mentira! Tenho mais o que fazer. Boa noite a todos!”, escreveu Bolsonaro.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.