Header Ads

Substâncias tóxicas da lama podem contaminar bombeiros em Brumadinho

Até o momento, 65 mortes foram confirmadas e 279 pessoas estão desaparecidas

© Adriano Machado/Reuters

 POR NOTÍCIAS AO MINUTO



As consequências do mar de lama em Brumadinho (MG), após o rompimento da barreira Córrego do Feijão, no último dia 25, estão sendo aos poucos compreendidas. A primeira preocupação é com a saúde dos sobreviventes. Até o momento, 65 mortes foram confirmadas e 279 pessoas estão desaparecidas. As informações são do R7.

"A gente tem que entender que a lama não é problema só físico. A lama enterrou histórias. As pessoas estão sofrendo. Há um sofrimento mental. Mesmo os bombeiros, ao assistirem às cenas grotescas, evidentemente, isso reflete na capacidade psíquica", atestou o médico sanitarista Marcus Vinícius Polignano.
Os socorristas estão tomando dois comprimidos a cada sete dias de Cloridrato de Doxiciclina, para prevenir doenças como a leptospirose. "Quem teve contato com a lama, teve com subtâncias tóxicas. Na lama não tem só minério de ferro, mas elementos químicos, como metais pesados. Tem também componentes à base de amina, que são irritantes para a pele", explicou Polignano.
Além de tomar a medicação, todas as pessoas devem ser monitoradas por médicos. A assistência aos atingidos a curto, médio e longo prazos e a contenção da lama de rejeitos são outras preocupações. Por esse motivo, o Ministério Público está tomando todas as providências necessárias para amenizar as consequências.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.